STF

Brasil Moro critica STF: 'Nunca houve qualquer restrição à defesa de Lula'

Moro critica STF: 'Nunca houve qualquer restrição à defesa de Lula'

Ex-juiz usou as redes sociais para rebater manutenção do Supremo do julgamento que o declarou suspeito para condenar Lula

  • Brasil | Do R7

Moro elogiou os votos a favor de suas decisões: "Correspondem aos fotos ocorridos"

Moro elogiou os votos a favor de suas decisões: "Correspondem aos fotos ocorridos"

Imagem Marcelo Camargo/Agência Brasil - 30.03.2017

O ex-juiz e ex-ministro do governo Bolsonaro Sergio Moro criticou a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que reconheceu a competência da Segunda Turma da Corte para declarar a suspeição dele como juiz no processo do tríplex do Guarujá contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Ele reagiu a mais uma derrota no Supremo, concretizada nesta quarta-feira (23), que sedimentou o caminho de Lula para concorrer às eleições de 2022

"Os votos dos Mins.Fachin, Barroso, Marco Aurélio e Fux, não reconhecendo vícios ou parcialidade na condenação por corrupção do Ex-Presidente Lula,correspondem aos fatos ocorridos e ao Direito. Nunca houve qualquer restrição à defesa de Lula,cuja culpa foi reconhecida por dez juizes (sic)", escreveu Moro em suas redes sociais.  

Por 7 a 4, o Supremo aceitou o recurso para derrubar a decisão do ministro Edson Fachin em março que, ao anular as condenações de Lula considerando que a 13ª Vara Federal de Curitiba não era competente para conduzir processos não relacionados aos desvios na Petrobras investigados pela Lava Jato, declarou também extinto pedido da defesa do ex-presidente sobre a parcialidade de Moro.

A decisão sobre a extinção do pedido havia sido tomada em março por Fachin. Na ocasião, os processos da 13ª Vara Federal de Curitiba foram direcionados à Justiça Federal do Distrito Federal.

Ao derrubar a decisão sobre a extinção do pedido de suspeição, o STF entendeu válido o julgamento da Segunda Turma, ocorrido também em março, e que apontou a parcialidade de Moro por 3x2.

Últimas