Moro vai ao Senado tentar impedir punição a promotores e juízes

Juiz da Lava Jata vai participar de sessão para discutir a Lei de Abuso de Autoridade

Moro é responsável pelas investigações da Lava Jato em 1º instância

Moro é responsável pelas investigações da Lava Jato em 1º instância

Lucio Bernardo Jr./Câmara dos Deputados - 4.8.2016

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas investigações da Operação Lava Jato em primeira instância, vai ao Senado Federal nesta quinta-feira (1º) na tentativa de impedir punição a promotores e juízes. O encontro temático deve contar também com a presença do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) e do juiz Sílvio da Rocha.

O encontro será marcado pela discussão do PLS (Projeto de Lei do Senado) 280/2016, que aumenta a pena para abuso de autoridade e pode ser apresentado nesta semana na Casa. Autor da proposta, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirma que é preciso discutir a medida sem preconceito.

— Os juízes precisam ser autônomos, mas eles não podem ficar infensos à responsabilidade. É preciso ter uma Lei de Abuso de Autoridade para punir a todos através do próprio judiciário. [...] O juiz que exorbitar, que cometer abuso, tem que ser punido.

Sérgio Moro pede licença de universidade para se dedicar à Lava Jato

O relator da PLS é o senador Romero Jucá (PMDB-PE). O também peemedebista Roberto Requião (PR) disse que não cederá às críticas de algumas categorias que serão atingidas e que são contrárias ao projeto por considerá-lo uma ameaça à Operação Lava Jato.

A sessão de debate sobre a Lei de Abuso de Autoridade com a participação de Moro será transmitida pelo Fecebook. Um grupo já se mobiliza para trocar os avatares de seus perfis nas redes sociais pela foto de Moro.

Nesta quarta-feira (30), Calheiros foi derrotado por 44 a 14 ao colocar em votação requerimento de urgência para votação do PLC 80/2016, que aborda as medidas do projeto sobre corrupção aprovado pela Câmara dos Deputados. Se a manobra contasse com apoio da maioria dos presentes, a proposta entraria em discussão logo em seguida.

Procuradores ameaçam renunciar à Lava Jato caso pacote anticorrupção avance