Brasil Mourão confirma saída de militares da Amazônia. 'Ficam de stand by'

Mourão confirma saída de militares da Amazônia. 'Ficam de stand by'

De acordo com o vice, Ministério da Defesa não respondeu pedidos de renovação dos trabalhos de combate a desmatamentos

  • Brasil | Do R7

Mourão espera queda de 15% no desmatamento até julho

Mourão espera queda de 15% no desmatamento até julho

Joédson Alves/EFE - 15.03.2021

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, confirmou que os militares deixam de fazer o trabalho de combate a crimes ambientais na Amazônia a partir desta sexta-feira (30), dia em que se encerra a Operação Verde Brasil 2.

Desmatamento é recorde às vésperas da saída de militares da Amazônia

"As Forças Armadas estão de stand by, caso seja necessário. O planejamento está feito. As agências que pretencem ao Ministério da Justiça, Meio Ambiente e Agricultura estão operando já. Temos um grupo gestor que toda semana se reúne para definir em quais áreas atuar", afirmou. 

Segundo Mourão, não houve resposta do Ministério da Defesa aos pedidos de renovação da operação. 

A Operação Verde Brasil 2 empregou 2,5 mil militares e agentes de órgãos de controle ambiental e estima ter reduzido em quase 20% os avisos de desmatamento na Amazônia Legal. 

O vice, mesmo assim, espera que as ações já feitas e que continuarão a cargo de agentes ambientais de outros órgãos garantam "no mínimo 15% de redução no desmatamento até julho", na comparação com os anos de 2019 e 2020.

Ele não descarta que futuramente as Forças Armadas voltem a ser acionadas para esse trabalho. "Se sentirem que não estamos conseguindo com o que nós temos, e o Ministério do Meio Ambiente julgar que pode ser necessário pelas carências de nossas agências, é possível."

Últimas