Brasil Mourão defende retorno de prisões após condenação em 2ª instância

Mourão defende retorno de prisões após condenação em 2ª instância

Vice-presidente comentou decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que, por 9 a '1, determinou retorno à cadeia do traficante André do Rap

  • Brasil | Do R7

Mourão diz que é preciso ouvir Chico Rodrigues

Mourão diz que é preciso ouvir Chico Rodrigues

REUTERS/Ueslei Marcelino 14/02/2019

O vice-presidente, Hamilton Mourão, defendeu nesta sexta-feira (16) o retorno das prisões automáticas após condenação em segunda instância, vetadas pelo STF (Supremo Tribunal Federal) em 2019.

Mourão comentava com jornalistas o placar de 9 a 1 ocorrido quinta-feira (15) no plenário do Supremo a favor do retorno à prisão do traficante André do Rap, condenado em segunda instância por dois crimes a mais de 25 anos de cadeia,

André do Rap: procuradores negam omissão e criticam Marco Aurélio

"Já era esperado. Era mais ou menos o que ia ocorrer... Agora, tudo está ligado a quê? A prisão em segunda instância. Então, foi válida até 2009, se não me engano, depois caiu, depois voltou, depois caiu. Então, a minha visão, a partir do momento que a pessoa é condenada por um colegiado, ela tem que cumprir sua pena.”

A condenação em primeira instância é feita por um juiz, individualmente, e as seguintes ocorrem por determinação de grupos de desembargadores (colegiados).

Sobre o caso do senador Chico Rodrigues (DEM-RR), o vice-presidente disse que cabe a seus companheiros de Parlamento decidir o futuro do político pego com dinheiro na cueca em uma operação da Polícia Federal.

Bolsonaro diz que senador Chico Rodrigues não faz parte do governo

"Alguns senadores eu vi que já se manifestaram que consideram que é melhor o Conselho de Ética tomar as providências necessárias, então, vamos aguardar o que o Senado vai falar.”

Mourão destacou que é preciso esperar as investigações para saber qual o grau de culpa de Chico Rodrigues no suposto desvio de verbas da Saúde.

“Ele [Chico Rodrigues] tem que comprovar de onde saíram esses recursos. Deixa a investigação correr. Prudência e caldo de galinha não fazem mal a ninguém.”

Últimas