Brasil Mourão: Fala de Bolsonaro sobre Forças Armadas foi mal entendida

Mourão: Fala de Bolsonaro sobre Forças Armadas foi mal entendida

Vice-presidente avalia que a frase não tem tom ameaçador e faz referência ao caso de países como a Venezuela

Mourão

Mourão evitou comentar tweet polêmico de Bolsonaro

Mourão evitou comentar tweet polêmico de Bolsonaro

Marcelo Camargo/Agência Brasil - 01.01.2019

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta quinta-feira (7) que o presidente Jair Bolsonaro foi "mal interpretado" ao dizer que democracia e liberdade só existem quando as Forças Armadas assim o querem.

Segundo Mourão, a frase não tem tom ameaçador, como foi visto por alguns, e, sim, faz referência ao caso de países como a Venezuela.

Ao chegar ao Planalto após o almoço, Mourão falou, bem humorado, que já sabia o que os jornalistas queriam perguntar e tratou logo de tentar esclarecer a polêmica.

"Eu já sei qual é o assunto e vou dizer muito claramente o que o presidente quis dizer. Ele está sendo mal interpretado. O presidente falou que onde as Forças Armadas não estão comprometidas com democracia e liberdade, esses valores morrem. É o que acontece na Venezuela. Lá, infelizmente as Forças Armadas venezuelanas rasgaram isso aí", disse Mourão a jornalistas.

Bolsonaro: reforma da Previdência dos militares exigirá sacrifícios

Para o vice, foi "exatamente isso que o presidente quis dizer". Questionado se concorda com a afirmação de Bolsonaro, Mourão respondeu que, "se as Forças Armadas não são comprometidas com democracia e liberdade, elas não subsistem". "Está aí a Venezuela para mostrar", reforçou.

Ao ser indagado sobre as críticas que têm recebido de um dos gurus do governo, o filósofo Olavo de Carvalho, Mourão desconversou e mandou um "beijinho".

O vice-presidente também evitou comentar o vídeo compartilhado pelo presidente Jair Bolsonaro com cenas obscenas que associou aos blocos de Carnaval. Na quarta, o Planalto soltou uma nota para dizer que o presidente não quis criticar o Carnaval de forma genérica. "Sobre isso eu não vou comentar", afirmou o vice.