Brasil Mulher de Eduardo Cunha reclama que foi esquecida nos 50 anos da Globo: "Estou na memória da emissora"

Mulher de Eduardo Cunha reclama que foi esquecida nos 50 anos da Globo: "Estou na memória da emissora"

Em desabafo no Facebook, ex-apresentadora Cláudia Cruz diz que sumiu na poeira

Mulher de Eduardo Cunha reclama ter sido esquecida nos 50 anos da Globo: “Estou na memória da emissora e isso não se apaga”

Claudia Cruz: reclamações nas redes sociais

Claudia Cruz: reclamações nas redes sociais

Reprodução/Facebook

Claudia Cruz não gostou da homenagem aos 50 anos da Globo. A jornalista, que apresentou diversos jornalísticos na emissora, reclama ter sido esquecida pela casa.

Em desabafo no Facebook, Claudia diz que foi “apagada da história da TV Globo”.

— Eu ainda processei a empresa pela maneira absurda que me demitiram injustamente, mas, mesmo assim, estou na memória da emissora e isso não se apaga.

Viagem, academia e festas: filhas de políticos curtem a vida e postam nas redes sociais

Leia mais notícias sobre Brasil e Economia

Casada com o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara, Claudia Cruz tem 47 anos e apresentou na Globo os jornais Fantástico, Jornal Hoje e RJTV.

O desabafo foi feito em um comentário na página de Valéria Monteiro, outra ex-âncora da emissora que reclamava da falta de reconhecimento.

— Será que não se lembram que apresentamos o Jornal Hoje juntas, quando nem maquiador para as apresentadoras havia? Quando não tínhamos figurino e, por diversas vezes, aparecemos no ar com a mesma cor de roupa? E lá se vão 26 anos. Eu era uma menina de apenas 21 quanto fui contratada para apresentar o Bom Dia Rio. Você já estava lá! Linda!

Netos de políticos dão show de fofura nas redes sociais. Veja fotos

O lamento não parou por aí. Cláudia Cruz diz que seu “esquecimento” é intencional.

— Ser apagada da história é muito ruim. Apresentei Bom Dia Rio, RJ 1 e 2, Jornal Hoje e Fantástico por vários anos! E, simplesmente, sumi na poeira como castigo por ter acionado a empresa na justiça, por ter sido injustiçada. História que nunca contei...