‘Não é possível que haja perseguição a brasileiros em Angola’, diz senador

Antonio Anastadia (PSD-MG) apoia apuração da Comissão de Relações Exteriores nas agressões sofridas por religiosos do país

O senador Antonio Anastasia (PSD-MG) manifestou neste sábado (11) seu apoio à Comissão de Relações Exteriores para apurar as agressões sofridas por religiosos brasileiros em Angola. Para o senador, a perseguição religiosa feita por angolanos dissidentes da Igreja Universal não deve ser tolerada.

A proposta, do senador Major Olimpio (PSL-SP), é usar uma aeronave da FAB (Força Aérea Brasileira) para levar os parlamentares a Angola e assim cobrar do governo local o fim da perseguição aos brasileiros.

Anastasia foi solidário à proposta de Major Olimpio

Anastasia foi solidário à proposta de Major Olimpio

Marcos Oliveira/Agência Senado - 21.11.2018

“Foi com grande apreensão que recebi a notícia da perseguição aos religiosos brasileiros em Angola, da Igreja Universal. Estou solidário ao senador Major Olímpio, dentro das Comissões de Relações Exteriores do Senado, para de fato apuramos essa situação. Não é possível que haja perseguição a brasileiros em países estrangeiros, ainda mais, em razão da liberdade religiosa, que deve imperar em todos os países”, disse Anastasia.

Há quase três semanas, religiosos brasileiros são perseguidos por angolanos ex-integrantes e que foram expulsos da igreja. Eles foram afastados por condutas imorais e até atos criminosos, quando invadiram igrejas e agrediram pastores e seus familiares e funcionários. 

“Manifesto aqui a minha plena solidariedade à Igreja Universal, a seus líderes, a seus pastores em Angola. Que de fato haja uma ação do governo brasileiro para apurar o que está havendo e evitar, junto ao governo de Angola, uma perseguição injusta como lá está ocorrendo”, completou o senador.