Reforma da Previdência
Brasil Não nos contaminaremos pela fala de Guedes sobre reforma, diz Ramos

Não nos contaminaremos pela fala de Guedes sobre reforma, diz Ramos

O chefe da equipe econômica disse que o parlamento "cedeu ao lobby dos servidores públicos" e reclamou da economia que deve ser gerada

Presidente da comissão especial, Marcelo Ramos

Presidente da comissão especial, Marcelo Ramos

DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO

O presidente da comissão especial da Câmara que analisa a reforma da Previdência, deputado Marcelo Ramos (PL-AM), disse que o parlamento não vai se deixar "contaminar pela fala de Guedes num momento bom da reforma da Previdência".

O ministro da Economia, Paulo Guedes, fez críticas nesta sexta-feira (14) aos deputados depois da apresentação do relatório da reforma na quinta-feira por Samuel Moreira (PSDB-SP). O chefe da equipe econômica disse que o parlamento "cedeu ao lobby dos servidores públicos" e reclamou da economia que deve ser gerada com a reforma a partir do texto de Moreira.

Ramos disse que, sob liderança do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), eles seguirão blindando a reforma de mais uma crise gerada pelo governo. "Servimos ao Brasil e aos brasileiros. Vamos seguir fazendo o que o governo não faz", disse Ramos.

O presidente da comissão elogiou o trabalho de Moreira. "Foi preciso no justo equilíbrio, garantindo potência fiscal, protegendo os mais pobres e exigindo a participação dos bancos neste momento de necessário sacrifício de todos", afirmou. Maia também saiu em defesa do relator e do parlamento, após as críticas de Guedes.

Ramos afirmou ainda que a reforma precisa voltar a atrair investimentos para o Brasil. "Quem tem de gostar da reforma são os investidores ávidos por estabilidade fiscal para voltar a investir, os empresários preocupados com seus negócios nesse tempo de crise econômica, os trabalhadores preocupados com seus empregos, os desempregados na esperança de dias melhores", afirmou. "Se esses estão satisfeitos, estamos no caminho certo", finalizou.