CPI da Covid

Brasil Negociador de vacinas admite que recebeu auxílio emergencial 

Negociador de vacinas admite que recebeu auxílio emergencial 

Cristiano Carvalho, representante da Davati, disse que sofreu com a inadimplência de contratos, mas que devolverá valores

  • Brasil | Do R7

O depoente Cristiano Alberto Hossri Carvalho

O depoente Cristiano Alberto Hossri Carvalho

Edilson Rodrigues/Agência Senado - 15.07.2021

O vendedor da Davati Cristiano Carvalho admitiu à CPI da Covid, nesta quinta-feira (15), que recebeu R$ 4,2 mil de auxílio emergencial no ano passado. E disse que já entrou em contato com o governo para fazer a devolução do dinheiro.

A empresa ofertou ao governo federal 400 milhões de doses de vacina por meio do vendedor Luiz Paulo Dominghetti, que segundo a Davati apenas intermediou a negociação, sendo Carvalho o representante oficial no Brasil. Dominghetti denunciou ao jornal "Folha de S. Paulo" que teria ouvido o pedido de propina de US$ 1 por dose negociada.  

Apesar de estar ligado à negociação milionária, Carvalho disse ter uma renda média mensal entre R$ 4 mil e R$ 6 mil, mas que precisou recorrer ao programa destinado a trabalhadores informais e pessoas de baixa renda que ficaram sem ganhos na pandemia porque sofreu com a inadimplência de contratos.

"Em 2020, vários contratos que eu tinha de prestação de serviço se tornaram inadimplentes, todas as minhas rendas em um certo momento ficaram abaixo do que eu tinha e comecei a ter dificuldade para alguns pagamentos. Uma colega me cadastrou no site do auxílio", disse. 

Ele afirmou que já entrou em contrato com o governo para fazer a devolução.

Últimas