Eleições 2022

Brasil Novas urnas eletrônicas terão criptografia reforçada, anuncia TSE

Novas urnas eletrônicas terão criptografia reforçada, anuncia TSE

Justiça Eleitoral anunciou que mais de 200 mil novas unidades sairão de fábrica com protocolo mais seguro para a eleição de 2022

  • Brasil | Do R7

Urnas serão produzidas com nova criptografia certificada

Urnas serão produzidas com nova criptografia certificada

Divulgação / TSE

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) anunciou na sexta-feira (30) que mais de 200 mil urnas eletrônicas que serão utilizadas nas eleições de 2022 sairão de fábrica com uma nova tecnologia de hardware com criptografia certificada.

De acordo com a nota emitida pelo tribunal, as urnas terão tecnologia compatível com os requisitos da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP-Brasil). Os modelos utilizados na eleição já saem de fábrica com um sistema que garante que os equipamentos executem apenas programas desenvolvidos e assinados digitalmente pelo TSE e agora a segurança será ampliada.

A ICP-Brasil é a plataforma de criptografia utilizada oficialmente pelo governo brasileiro e  garante a autoria, integridade, autenticidade e confidencialidade às assinaturas ou cifras digitais nas diversas plataformas.

"A partir da certificação da criptografia do hardware da urna, os partidos políticos e demais interessados terão a garantia, avaliada por um laboratório certificado pelo Inmetro, de que as assinaturas digitais e criptografia superam os requisitos mínimos de qualidade e segurança, atestando que informações assinadas pelas urnas somente poderiam ter sido geradas em determinado equipamento", diz a nota.

O chamado perímetro criptográfico, responsável por garantir a execução de sistemas assinados pelo TSE, também "assegura a autenticidade de informações geradas pela urna eletrônica e impede que dados e informações sofram modificações não autorizadas, garantindo sua integridade e autenticidade".

As novas urnas vão renovar parte do estoque da Justiça Eleitoral, que atualmente é de 470 mil unidades em todo o país. As urnas fabricadas em 2006, 2008 e parte das de 2009, cuja vida útil está esgotada, serão substituídas pelos novos modelos.

Últimas