Brasil Número 2 de Araújo, Otávio Brandelli deve assumir vaga na OEA

Número 2 de Araújo, Otávio Brandelli deve assumir vaga na OEA

Ele será o terceiro a sair para cargo em Washington dentro das mudanças que diminuíram o poder da ala ideológica do governo

Agência Estado
Otávio Brandelli deve ser trocado pela preferência do novo chanceler, Carlos França

Otávio Brandelli deve ser trocado pela preferência do novo chanceler, Carlos França

Reprodução/ Twitter/ Ernesto Araújo - 05.12.2018

O atual secretário-geral do Itamaraty e número 2 durante a gestão de Ernesto Araújo, o embaixador Otávio Brandelli, é o mais cotado para assumir a representação do Brasil na OEA (Organização dos Estados Americanos), em Washington. Segundo fontes que acompanham as mudanças, o presidente Jair Bolsonaro deve indicar Brandelli para o posto do embaixador Fernando Simas que foi chamado para assumir a secretaria-geral.

Antes de ser braço direito de Ernesto, Brandelli era diretor do Departamento de Mercosul do Itamaraty. Ele será o terceiro a assumir um cargo em Washington no último ano após as mudanças que diminuíram o poder da chamada ala ideológica que dá sustento a Bolsonaro.

Em junho do ano passado, o ex-ministro da Educação Abraham Weintraub foi indicado para uma diretoria executiva do Banco Mundial. Meses depois, Arthur Weintraub, então assessor especial da Presidência e irmão do ex-ministro, deixou o governo para assumir um cargo de confiança na OEA.

Brandelli será enviado após a queda de Araújo. Mas, diferentemente dos irmãos Weintraub e do ex-chanceler, ele é visto como um nome moderado. A secretaria-geral do Itamaraty é o posto administrativo mais alto da carreira - responde apenas ao chanceler, que é um cargo político. Sua troca com Simas tem relação, segundo fontes, com a preferência do atual chanceler, Carlos Alberto França, por um novo braço direito com mais tempo de casa e experiência.

Integrantes do ministério, que acompanham as mudanças, dizem que a troca de Brandelli por Simas não tem maior significado político e não representa uma "caça às bruxas" contra diplomatas ligados a Ernesto.

A OEA é o fórum político regional. Sob o comando do uruguaio Luis Almagro, a organização se notabilizou por uma aproximação à política externa de Donald Trump para a América Latina. Nos últimos anos, a OEA reconheceu os diplomatas de Juan Guaidó, opositor de Nicolás Maduro, como representantes da Venezuela. Em 2019, a organização acusou Evo Morales de fraudar as eleições na Bolívia.

Apesar da troca, França manteve parte da equipe de seu antecessor até agora. O convite a Simas para comandar a secretaria-geral é considerado nos bastidores como um sinal de retomada do respeito da pasta à hierarquia e à experiência. Simas é diplomata de carreira e já ocupou postos importantes no exterior.

Últimas