Operação Lava Jato

Brasil Nunes Marques dá 2º voto a favor de acesso a conversas hackeadas

Nunes Marques dá 2º voto a favor de acesso a conversas hackeadas

Ministro disse que seu voto não traz "juízo acerca da validade ou autenticidade do material coletado na operação"

  • Brasil | Do R7

Nunes Marques foi o 2º a votar na ação

Nunes Marques foi o 2º a votar na ação

Fellipe Sampaio/SCO/STF

O ministro Kassio Nunes Marques, da 2ª Turma do STF (Supremo Tribunal Federal), acompanhou o voto do relator Ricardo Lewandowski e defendeu o acesso de réus a conversas da Operação Spoofing.

A operação em questão mirou um grupo de hackers que invadiu celulares de autoridades, incluindo procuradores da força-tarefa da Lava Jato, o ex-ministro Sergio Moro e o presidente Jair Bolsonaro.

"Limito-me portanto, nos precisos termos do voto do ministro relator a conferir acesso à defesa do reclamante ao referido material, permitindo assim o fiel cumprimento da decisão", destacou o ministro. Os dois votos proferidos até então autorizam que a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tenha acesso a conversas atribuídas à Operação Lava Jato.

Nunes Maques garantiu ainda que não está "fazendo qualquer juízo acerca da validade ou autenticidade do material coletado na operação". "Entendo inexistir legitimidade processual aos peticionantes, na medida em que atuem em nome próprio na defesa de um direito alheio invocando, indevidamente, a condição de substituto processual", afirmou ele.

Últimas