Julgamento do mensalão

Brasil Oposição quer ouvir Tuma Jr. sobre denúncias contra governo Lula

Oposição quer ouvir Tuma Jr. sobre denúncias contra governo Lula

Líder do PSDB, deputado Carlos Sampaio chamou entrevista de “esclarecedora e estarrecedora”

  • Brasil | Do R7

"Tuma Jr. confirmou tudo que sempre denunciamos", diz Sampaio

"Tuma Jr. confirmou tudo que sempre denunciamos", diz Sampaio

Laycer Tomaz/14.05.2013/Câmara dos Deputados

O livro em que o ex-secretário nacional de Justiça Romeu Tuma Jr. faz graves denúncias sobre o governo Lula promete fazer barulho no Congresso Nacional. Após a revista Veja adiantar material de Assassinato de Reputações - Um Crime de Estado, deputados da oposição prometem convidar Tuma Jr. para detalhar o material de seu livro.

Líder do PSDB na Câmara, o deputado Carlos Sampaio (SP) disse que vai requerer no início desta semana à Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado a realização de audiência pública com a presença de Tuma Jr.

— O ex-secretário Tuma Jr, que fez parte do alto escalão do governo Lula por três anos, confirmou [em entrevista à revista Veja] tudo aquilo que sempre denunciamos: a fábrica de dossiês petista, o até hoje obscuro assassinato político do prefeito Celso Daniel e a existência de uma conta no exterior para onde foram enviados os recursos do mensalão, entre outras afirmações graves.

Secretário-geral da Presidência diz que processará Tuma Jr. por calúnias

Segundo o tucano, “até mesmo a investigação sobre o cartel do metrô em São Paulo, que o ministro [da Justiça] José Eduardo Cardozo negou ter sido fruto de exploração político-partidária, obedeceu ao modus operandi usual”.

— Surge um dossiê apócrifo e em seguida é encomendada à Polícia Federal uma investigação sigilosa que não permite sequer ao denunciado qualquer chance de defesa. Ao fim, quando provadas a improcedência da ação e a inocência do acusado, já é tarde demais — ele já foi vítima do que Tuma Jr chamou de ‘assassinato de reputações’.

Justiça

Sampaio diz esperar que o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, tenha a mesma agilidade e disposição para investigar o conteúdo do livro que demonstrou em relação ao "dossiê apócrifo vazado à imprensa", apesar do que chamou de “predileção do ministro por documentos sem autor”.

— Ao contrário do dossiê anterior, esse tem conteúdo facilmente comprovável, além de ser assinado por alguém que carrega uma reputação pessoal e familiar histórica e que esteve dentro do próprio governo. Vamos ver qual será o procedimento do ministro da Justiça.

Últimas