CPI da Covid

Brasil Osmar Terra diz que fim da pandemia 'não vai demorar muito'

Osmar Terra diz que fim da pandemia 'não vai demorar muito'

Ex-ministro deu estimativa ao ser cobrado na CPI sobre diversas projeções erradas feitas desde os primeiros casos de covid no Brasil

  • Brasil | Do R7

Terra afirmou erradamente que pandemia terminaria ainda em abril de 2020

Terra afirmou erradamente que pandemia terminaria ainda em abril de 2020

Jefferson Rudy/Agência Senado - 22.06.2021

O ex-ministro da Cidadania Osmar Terra deu nesta terça-feira (22), na CPI da Covid, uma nova previsão sobre o fim da pandemia ao ser cobrado durante seu depoimento pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) sobre outras  diversas projeções suas minimizando a crise sanitária desde o início de 2020. 

"No início de janeiro, nós não tínhamos ainda a vacina, e as pessoas estavam questionando: 'Quando é que termina essa pandemia?'. Eu disse: 'vai terminar quando tiver – ou com vacina, ou sem vacina – um número grande de pessoas imunizadas. É isso que vai acontecer, nós vamos somar as pessoas imunizadas com as vacinas e termina. Quando é que vai acontecer? eu acho que não vai demorar muito", disse em seu depoimento.

"Vamos torcer para que, desta vez, o senhor acerte a previsão", respondeu o senador Alessandro Vieira. 

Terra descartou efeitos mais graves do novo coronavírus no Brasil desde a confirmação dos primeiros casos. Logo depois do início da quarentena, ele também chegou a afirmar que a crise acabaria ainda em abril daquele ano.

Em dezembro, pouco antes da explosão de casos e do colapso hospitalar no estado de Amazonas, o deputado voltou mais uma vez a prever o fim da pandemia. "Repique indica que vírus adquiriu massa crítica de contágio para chegar logo na imunidade de rebanho( 85 a 90% população). (...) Assim estaríamos na reta final da pandemia que deve se resolver em semanas", escreveu em suas redes sociais. 

Como justificativa para os erros, Terra citou dados preliminares da China e o surgimento da variante Gama, em Manaus, para justificar suas previsões erradas. "O que eu falei desde o início é que nós não previmos as novas cepas, que não teve nas outras pandemias. Eu estava trabalhando com os dados que eu tinha, os dados das pandemias anteriores, e da China", afirmou. 

Últimas