grevecaminhoes
Brasil Padilha diz que 'minoria barulhenta' não aceitou suspender a greve

Padilha diz que 'minoria barulhenta' não aceitou suspender a greve

Governo federal participa de uma coletiva nesta sexta (25) para falar sobre as medidas adotadas para acabar com a paralisação dos companheiros

Padilha diz que 'minoria barulhenta' não aceitou parar a greve

Padilha diz que 'minoria barulhenta' não aceitou parar a greve

Nilton Fukuda/Estadão Conteúdo

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, em uma coletiva na tarde desta sexta-feira (25) disse que uma minoria não aceitou o acordo celebrado entre o governo federal e 11 entidades de caminhoneiros na noite de quinta (24) para suspender a greve por pelo menos 15 dias.

— A minoria, normalmente ela sendo barulhenta, ela faz mais barulho que a maioria. Por enquanto, a redução ainda não é que nós gostaríamos que acontecesse, mas já é considerável.

O chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen, também disse que o número de interdições está diminuindo.

— Está caindo a taxa de números de interdições e acho que estamos num bom momento de compreensão de todos para que nossa população não seja submetida a carências.

Ainda segundo Etchegoyen, o governo espera chegar rapidamente na normalização e que o caminho usado será da negociação, mas “sem deixar em nenhum que o governo deixe de usar a energia necessária”.

—  O caminho que tem que ser tomado é o caminho da negociação para que possamos pacificar e atender reivindicações que foram consideradas justas, mas sem deixar em nenhum momento que o governo deixe de usar a energia necessária para garantir à nossa população que ela não sofra o desabastecimento dos seus itens de primeira necessidade.

Arte / R7