Brasil Para 65% dos brasileiros, Dilma deve ser afastada definitivamente, revela pesquisa

Para 65% dos brasileiros, Dilma deve ser afastada definitivamente, revela pesquisa

Paraná Pesquisas ouviu moradores de 157 cidades do país sobre o impeachment da petista

Para 65% dos brasileiros, Dilma deve ser afastada definitivamente, revela pesquisa

Michel Temer deveria ser o presidente para 41,2% dos entrevistados

Michel Temer deveria ser o presidente para 41,2% dos entrevistados

José Cruz/12.08.2016/Agência Brasil

Segundo a pesquisa de opinião feita com moradores de 157 cidades do País pelo instituto Paraná Pesquisas, cerca de 65% da população brasileira, se tivessem direito a voto no Senado, decidiriam pelo afastamento definitivo da presidente Dilma Rousseff (PT).

O levantamento ouviu 2.023 pessoas, com mais de 14 anos de idade, em todas as regiões do País, entre os dias 20 e 24 de agosto. O grau de confiança é de 95%. 

Para a pergunta direta sobre quem prefere que governe o Brasil, 41,2% escolheram Michel Temer, 34,7% disseram nenhum dos dois e 21,9% optaram por Dilma Rousseff; outros 2,2% não souberam responder.

Dilma pretende comparar indicadores econômicos e sociais

Leia mais notícias de Brasil e Política

No recorte por gênero, Temer tem uma aprovação maior entre os homens, 44,1%, contra 38,6% na opinião das mulheres. Dilma, por sua vez, teve o nome citado por 23,4% das mullheres e 20,4% dos homens.

Na análise por região, Dilma se aproxima de Temer apenas no Nordeste, 32,3% da petista contra 34,7% do presidente interino. No Sul do país, Temer consegue a sua maior vantagem, 44,6% contra 17,7%.

Esperança e confiança

A pesquisa também investigou a opinião dos brasileiros sobre os rumos do país neste período de governo interino. A pergunta feita ao entrevistados foi: "Depois que a Presidente Dilma Rousseff foi afastada do cargo, o Sr(a) diria que o Brasil retomou a confiança e a esperança?"

A resposta "sim" ganhou com 51,6%  e o "não" teve 45,1%; outros 3,4% dos entrevistas disseram que não saberiam responder à pergunta.

Assista à reportagem do Jornal da Record sobre o processo de impeachment:

    Access log