Brasil Para Aécio, mensagem de fim de ano de Dilma foi campanha eleitoral

Para Aécio, mensagem de fim de ano de Dilma foi campanha eleitoral

"Sob o pretexto das festas de fim de ano, a presidente volta à TV para fazer autoelogio", criticou

"Lamentavelmente, a oposição não pode pedir direito de resposta"

"Lamentavelmente, a oposição não pode pedir direito de resposta"

George Gianni / PSDB

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) criticou na madrugada desta segunda-feira, em seu perfil no Facebook, o último pronunciamento do ano da presidente Dilma Rousseff, que foi ao ar neste domingo.

Segundo o pré-candidato tucano à Presidência da República, “sob o pretexto das festas de fim de ano, a presidente volta à TV para fazer autoelogio e campanha eleitoral”. 

— Lamentavelmente, a oposição não pode pedir direito de resposta. Nenhuma palavra sobre as famílias vítimas das chuvas e as obras prometidas e não realizadas. Nenhuma menção à situação das empresas públicas, à inflação acima do centro da meta, ao pífio crescimento da economia. Nenhuma menção à situação das estradas, à crise da segurança e à epidemia do crack que estraçalha vidas.

Câmara dobra gastos com assistência médica de deputados em 2013

Renan Calheiros devolve R$ 27 mil aos cofres públicos, diz assessoria

O tucano diz que “na ilha da fantasia a que a presidente nos levou mais uma vez, a qualidade do ensino tem melhorado e a criação de creches é comemorada”.

— Enquanto isso, no Brasil real, os resultados dos testes internacionais demonstram o contrário: o analfabetismo parou de cair e, das 6 mil creches prometidas por ela em 2010, apenas 120 haviam sido entregues até outubro.

Para o senador, “essa nova e abusiva convocação de rede de rádio e televisão é mais uma demonstração da falta de limites de um governo que acredita que a propaganda e o ilusionismo podem demonstrar força, enquanto, na verdade, só acentuam a sua fraqueza”.

Últimas