Óleo no Nordeste
Brasil Parque Nacional de Abrolhos (BA) é reaberto para visitação

Parque Nacional de Abrolhos (BA) é reaberto para visitação

Local estava fechado desde o dia 3 por causa das manchas de óleo. Vestígios identificados no último sábado (2) não produziram impacto na fauna e flora

Óleo no Nordeste

Vestígios de óleo não impactaram na vida marinha e na flora local

Vestígios de óleo não impactaram na vida marinha e na flora local

Divulgação / Governo da Bahia

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) reabriu nesta sexta-feira (8) o Parque Nacional Marinho de Abrolhos, na Bahia, depois de suspender a visitação desde o dia 3 de novembro. Na ocasião, manchas de óleo foram identificadas no arquipélago, que fica no sul da Bahia.

O chefe do parque, Fernando Repinaldo Filho, informou, em comunicado, que "após intensos esforços de limpeza, contenção e monitoramento da chegada de resíduos de óleo que atingem o nordeste brasileiro a Abrolhos, nos últimos dois dias, os fragmentos encontrados em todas as ilhas reduziram-se a poucos gramas".

Leia mais: Fuzileiros esperam manchas de óleo que podem chegar ao Espírito Santo

Segundo o documento assinado pelo chefe do parque, "não foi encontrada nenhuma quantidade significativa no mar na região do Arquipélago dos Abrolhos, além de não ter constatado até o momento nenhum impacto negativo direto à fauna e flora no Parque Marinho". Com esse argumento, a visitação foi retomada.

Ainda de acordo com o documento, como há possibilidade de ocorrência de novos eventos, as empresas autorizadas a realizar o serviço de visitação embarcada, mergulho autônomo e trilhas no arquipélago devem avisar imediatamente à administração do parque a localização de qualquer vestígio de óleo.

Manchas de oléo

No sábado (2), as autoridades identificaram manchas de óleo na Ilha de Santa Bárbara, uma das cinco que formam o arquipélago. O Parque Nacional de Abrolhos é considerado um santuário para a biodiversidade marinha e um local de reprodução das baleias Jubarte.

Veja também: Com cautela, peixes do litoral nordestino podem ser consumidos

Para reabertura do parque nesta sexta, houve um intenso esforço de trabalho na limpeza, segundo o ICMBio. Atuam na grande operação para remoção do óleo nas praias do Nordeste, mais de 3.800 militares da Marinha do Brasil, 30 navios, sendo 26 da Marinha e 4 da Petrobras, 20 aeronaves, além de 5.000 militares do Exército Brasileiro. Também participam dos trabalhos 140 servidores do Ibama, 80 do ICMBio e 440 funcionários da Petrobras.

De acordo com o levantamento feito pelo Ibama, foram contabilizadas cerca de 4.300 toneladas de resíduos de óleo retiradas das praias nordestinas até esta sexta. A contagem desse material não inclui somente óleo, mas também areia, lonas, EPI e outros materiais utilizados para a coleta. O descarte dos resíduos é feito pelas Secretarias de Meio Ambiente dos estados.