CPI da Covid

Brasil Pazuello volta a culpar hacker por aplicativo para tratamento precoce

Pazuello volta a culpar hacker por aplicativo para tratamento precoce

Ex-ministro ainda afirmou que invasor foi identificado. O aplicativo, porém, foi lançado e divulgado pelo próprio ministério na época

  • Brasil | Gabriel Croquer, do R7

Ministro ainda afirmou que seu ministério não distribuiu o "Kit Covid"

Ministro ainda afirmou que seu ministério não distribuiu o "Kit Covid"

Adriano Machado/Reuters - 20.05.2021

Em depoimento à CPI da Covid nesta quinta-feira (20), o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello voltou a culpar um hacker pelo aplicativo do Ministério da Saúde "TrateCov", que recomendava o "tratamento precoce" a pacientes com sintomas de covid-19, incluindo grávidas e crianças.

A plataforma online receitava medicamentos sem eficácia comprovada, como hidroxicloroquina, cloroquina, ivermectina, azitromicina e doxiciclina, para pessoas de diversas idades e perfis que tivessem sintomas da doença.

"Naquele dia que foi apresentado, foi feito um roubo dessa plataforma e foi feito um BO [boletim de ocorrência]. Foi roubado. Ele foi hackeado por um cidadão. Tem uma investigação que chega nesse cidadão, ele foi descoberto, pegou o diagnóstico, alterou dados e colocou na rede pública", disse, enfatizando que o aplicativo tinha o objetivo de ajudar no diagnóstico da doença. 

O aplicativo, porém, foi lançado e divulgado pelo próprio ministério na época e até pela TV Brasil, o que foi ironizado pelo presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM). Ele disse que o hacker deveria ser tão influente que chegou a colocar propaganda do TrateCov na TV Brasil.

Até mesmo o ministro Eduardo Pazuello participou do lançamento da plataforma durante evento em Manaus, no dia 14 de janeiro de 2021, época em que a capital lutava contra a falta de oxigênio para tratar doentes da covid-19

Depois da polêmica, o aplicativo acabou saindo do ar no dia 21 de janeiro, pouco mais de uma semana depois de ter sido lançado.

(Com informações da Agência Estado)

Últimas