tragédia brumadinho
Brasil Pedido de CPI sobre rompimento de barragem é protocolado no Senado

Pedido de CPI sobre rompimento de barragem é protocolado no Senado

Senador Carlos Viana diz que inicialmente a comissão não tem caráter punitivo, mas sim voltado para a proposição de uma legislação mais moderna

CPI brumadinho

CPI vai apurar causas do rompimento da barragem

CPI vai apurar causas do rompimento da barragem

REUTERS/Adriano Machado

O pedido de criação da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para apurar as causas do rompimento da barragem em Brumadinho (MG) foi protocolado nesta quinta-feira (7) na Mesa do Senado.

O requerimento, entregue pelos senadores do PSD Otto Alencar (BA) e Carlos Viana (MG), tem 44 assinaturas, 17 a mais que o mínimo exigido. Segundo o senador Carlos Viana, inicialmente a comissão não tem caráter punitivo, mas sim voltado para a proposição de uma legislação mais moderna.

Comissão que apura crime da Vale vai a Brumadinho na sexta-feira

Viana, que pretende ser o relator da comissão, lembrou a criação recente da Agência Nacional de Mineração. Segundo ele, o órgão não tem estrutura suficiente para fiscalizar a situação das barragens de rejeitos. "Se tivéssemos modernizado a legislação na hora certa , se tivéssemos permitido uma agência mais moderna, teríamos salvado a vida dessas pessoas”, afirmou.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) , um dos que assinaram o requerimento, adiantou que na próxima terça-feira (12), o documento deve ser lido no plenário da Casa. A partir daí, os líderes podem indicar os nomes que vão compor a comissão. Serão 11 titulares e sete suplentes. A CPI deve ter duração de 180 dias e limite de despesas de R$ 110 mil.

    Access log