Brasil Pedido de vista adia votação de processo contra Daniel Silveira

Pedido de vista adia votação de processo contra Daniel Silveira

Substituta de Silveira no Conselho de Ética fez o pedido. Por videoconferência, deputado se disse 'perseguido por comunistas'

  • Brasil | Do R7

Major Fabiana pediu vista do processo minutos antes de ser anunciada como substituta de Daniel Silveira no Conselho de Ética

Major Fabiana pediu vista do processo minutos antes de ser anunciada como substituta de Daniel Silveira no Conselho de Ética

Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

A deputada Major Fabiana (PSl-RJ), que substituiu o colega de partido Daniel Silveira (PSL-RJ) na suplência do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados, pediu vista do processo disciplinar contra ele em reunião da comissão nesta terça-feira (2). Com isso, o parecer do relatório do deputado Alexandre Leite (DEM-SP), que defende o prosseguimento do processo contra Silveira, teve o debate e a votação adiados.

Silveira anunciou sua renúncia à vaga de suplente nesta terça-feira (2). A substituição pela Major Fabiana foi anunciada no início da reunião pelo 1º vice-presidente do colegiado, deputado Cezinha de Madureira (PSD-SP). O deputado do PSL, que está preso em um batalhão da PM no Rio de Janeiro, é acusado de ofensas a integrantes do Supremo Tribunal Federal (STF) e de fazer apologia ao AI-5, instrumento utilizado durante a ditadura militar.

Leia também: Salvo pelo Senado em 2017, Aécio vota por prisão de Daniel Silveira

Por meio de videoconferência, Silveira participou da reunião se defendeu. "São processos espetaculosos, sempre de partidos comunistas, que defendem pautas nefastas. Mas nós, do conservadorismo, nunca entramos com nenhum processo contra eles", disse.

Além do processo instaurado na semana passada contra Silveira, o Conselho de Ética abriu nesta terça (2) mais sete representações contra o deputado. Seis delas, apresentadas pelos partidos PSOL, PT, PDT, PSB, PCdoB e Rede, receberam pedido de requerimento para ser apensadas em um único processo, por apresentarem o mesmo teor. A decisão caberá à Mesa Diretora da Câmara.

Caso Flordelis

Tanto o deputado Daniel Silveira quanto a deputada Flordelis (PSD-RJ) foram notificados pelo Conselho de Ética nesta terça (2) dos processos instaurados para apurar a quebra de decoro parlamentar. Com a notificação, os deputados terão agora dez dias úteis para apresentar defesa por escrito.

Flordelis é apontada como mandante da morte do marido, o pastor Anderson do Carmo, em 2019.  Ela foi afastada do cargo há uma semana. A medida é válida por cerca de um ano, até que o julgamento seja concluído. Ainda cabe recurso da decisão.

Para se defenderem, Silveira e Flordelis poderão arrolar até oito testemunhas. Após esse prazo, as relatorias têm 40 dias úteis para coletar provas e depoimentos de testemunhas, e mais dez dias para apresentar um relatório e votá-lo.

No caso de Silveira, o relator do parecer será o deputado Fernando Rodolfo (PL-PE). No de Flordelis, será Alexandre Leite (DEM-SP). Em ambos, os processos podem resultar na perda do mandato.

O Conselho de Ética deve se reunir novamente nesta quarta-feira (3), a partir das 14h.

(Com informações da Agência Brasil e da Agência Câmara)

Últimas