'Perderam tempo comigo', diz Bolsonaro sobre ter sido hackeado

Em visita a um colégio militar em Manaus nesta quinta, o presidente disse que sempre tomou cuidado com as informações estratégicas

O presidente Bolsonaro e o ministro Paulo Guedes, em Manaus

O presidente Bolsonaro e o ministro Paulo Guedes, em Manaus

EDMAR BARROS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (25) não temer o vazamento de informações do seu celular, que também foi alvo de ataques pelo grupo de hackers preso na última terça-feira (23), segundo o Ministério da Justiça.

Em visita a um colégio militar em Manaus nesta quinta, Bolsonaro disse que sempre tomou cuidado com as informações estratégicas.

Leia também: Bolsonaro pede no Twitter que hackers sejam "duramente punidos"

"Sempre tomei cuidado nas informações estratégicas. Essas não são passadas por telefone. Então, não estou nem um pouco preocupado se por ventura, algo vazar do meu telefone, não vão encontrar nada que comprometa. Por exemplo, o que estamos tratando com outro Estado como a Venezuela, as questões estratégicas para o Brasil, isso é conversado pessoalmente em nosso gabinete. Perderam tempo comigo", disse Bolsonaro.

O Ministério da Justiça disse ter sido informado pela Polícia Federal que aparelhos utilizados pelo presidente Bolsonaro foram alvos de ataques pelos hackers.

A informação foi transmitida pelo ministro da Justiça, Sergio Moro, a Bolsonaro em uma reunião na manhã de quarta-feira (24). O ministro colocou a situação como gravíssima. A PF está aprofundando as investigações para ver a extensão dos ataques criminosos.

O Ministério da Justiça confirmou que Bolsonaro poderia estar entre os alvos do grupo hacker. Apesar de a nota não dizer quando os celulares do presidente foram alvos de ataque, a reportagem confirmou, em seguida, com o próprio ministério, que as ações de hackers se deram em um período em que ele já estava na Presidência da República.

O Ministério da Justiça ainda não tem a confirmação sobre se o conteúdo dos celulares do presidente chegou a ser extraído pelos hackers. Ao menos dois aparelhos celulares foram alvo dos ataques.