Brasil Pereira: Nem para o presidente abro mão de comandar o Republicanos

Pereira: Nem para o presidente abro mão de comandar o Republicanos

Enquanto tenta criar partido próprio, o Aliança pelo Brasil, Bolsonaro pode se filiar a outra legenda

  • Brasil | Do R7

Marcos Pereira é presidente do Republicanos

Marcos Pereira é presidente do Republicanos

Divulgação

O presidente do Republicanos, o deputado Marcos Pereira, afirmou nesta quinta-feira (26) que não existe a possibilidade de oferecer o controle do partido para atrair o presidente Jair Bolsonaro que, no momento, está sem partido. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. 

“Não abro mão do comando do partido para ninguém, nem para o presidente da República”, afirmou Pereira, que hoje é vice-presidente da Câmara.

Bolsonaro tenta criar uma nova sigla, batizada de Aliança pelo Brasil. Enquanto o projeto não sai do papel, o presidente pode se filiar a um novo partido. Bolsonaro foi eleito pelo PSL, mas rompeu com a legenda em novembro de 2019. 

Dois filhos de Bolsonaro, o vereador Carlos e o senador Flávio, são filiados ao Republicanos. 

Pereira afirmou que o Republicanos é um partido que se posiciona como de centro-direita e que não pode ser uma legenda radical. 

"Obviamente, se eu tenho dois filhos do presidente, isso leva mais um pouquinho para a direita, mas tenho pessoas que são mais progressistas e isso traz equilíbrio. Até porque os filhos do presidente, eu não tenho dúvida, estão de passagem pelo partido, por um pragmatismo local. Não se trata de um convite. É público e notório que eles estão tentando viabilizar um partido. Se viabilizarem, vão para lá. E, se não viabilizarem, a tendência é que acompanhem o pai no partido que ele for", afirmou.

Segundo o presidente do Republicanos, "o partido tem vontade de ter um presidente da República, mas não necessariamente o Bolsonaro. Um dia, quem sabe". 

Câmara dos Deputados

Atualmente, Pereira é vice-presidente da Câmara dos Deputados e apontado como um dos principais candidatos a substituir Rodrigo Maia (DEM-RJ) no comando da Casa. Ele prega equilíbrio e moderação entre os Poderes da República.

Quanto à possibilidade de reeleição dos presidentes da Câmara e do Senado, caso o STF (Supremo Tribunal Federal) dê sinal verde para isso ocorrer, Pereira disse que Davi Alcolumbre (DEM-AP) teria grandes chances de vencer de novo no Senado.

"Se o Supremo disser que sim, a impressão que eu tenho, com base nas conversas que eu tenho tido, é que Davi tem maioria para ser reeleito [no Senado]. Na Câmara, já há bastante divisão sobre esse assunto e eu quero crer na palavra do Rodrigo Maia que tem dito, mesmo que ele tenha o direito, ele não exercerá", afirmou.

Últimas