Operação Lava Jato

Brasil Petrobras traz a marca perversa do governo do PT, diz Aécio

Petrobras traz a marca perversa do governo do PT, diz Aécio

Operação da Polícia Federal já prendeu 18 pessoas envolvida em corrupção na estatal

  • Brasil | Do R7

Tucano veio "agradecer" o apoio dos paulistas na eleição

Tucano veio "agradecer" o apoio dos paulistas na eleição

Divulgação/PSDB

Em encontro com correligionários realizado nesta sexta-feira (14), o senador Aécio Neves (PSDB-MG) comentou os desdobramentos da operação Lava-Jato e das investigações na Petrobras. Segundo ele, a estatal incorpora no governo petista a marca perversa da corrupção.

— O adiamento da divulgação do balanço da Petrobras traz a marca perversa das ações deste governo.

A PF (Polícia Federal) em Curitiba confirmou há pouco a prisão do ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque e de mais 17 pessoas, de forma temporária e preventiva. Todas fazem parte da sétima fase da operação Lava Jato.

Leia mais notícias no R7

Os investigados que não foram localizados tiveram os nomes inscritos no sistema de procurados da PF e estão proibidos de deixar o país, entre eles, o lobista Fernando Baiano, apontado nas investigações como agente do PMDB no esquema criminoso.

Foram realizados mandados de busca e apreensão nas empresas Camargo Corrêa, Engevix, Galvão Engenharia, Iesa, Mendes Júnior, OAS, Odebrechet, Queiroz Galvão e UTC. Diretores de algumas destas empresas foram presos na operação.

No discurso que fez para um auditório lotado, na capital, Aécio disse que enquanto eles celebram hoje a caminhada honrosa nessas eleições, estava sendo preso o mais importante diretor da Petrobras indicado pelo PT.

— A Petrobras está maculada pela irresponsabilidade de alguns de seus diretores.

Para o senador, a prisão deste diretor vai deixar muita gente sem dormir em Brasília porque ele representa o elo mais forte com o partido.

Últimas