PF mira Hang, Roberto Jefferson e aliados de Bolsonaro por fake news

Humorista Rey Biannchi, blogueira Sara Winter e deputado estadual do PSL em São Paulo Douglas Garcia também são alvos da operação desta quarta

Jefferson, presidente nacional do PTB, é alvo da PF

Jefferson, presidente nacional do PTB, é alvo da PF

Wilson Pedrosa/Estadão Conteúdo – 13.03.2009

A PF (Polícia Federal) cumpre, nesta quarta-feira (27), 29 mandados de busca e apreensão em uma operação contra a disseminação e financiamento de fake news contra ministros do STF (Supremo Tribunal Federal).

Todas as ordens judiciais foram expedidas pelo ministro Alexandre de Moraes.

Um dos alvos é o presidente do PTB, o ex-deputado federal Roberto Jefferson, que teve um endereço vasculhado pelos agentes federais hoje de manhã — um sítio no Rio de Janeiro. 

Endereços de Hang, dono da Havan, também sofreram busca e apreensão hoje

Endereços de Hang, dono da Havan, também sofreram busca e apreensão hoje

Reprodução/Facebook

Além de Jefferson, outros alvos são o dono da Havan, o empresário Luciano Hang, o deputado estadual de São Paulo Douglas Garcia, a ativista Sara Winter, o blogueiro Allan dos Santos e o humorista Rey Biannchi.

As autoridades cumprem os mandados judiciais em endereços no Distrito Federal, Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso, Paraná e Santa Catarina.

O inquérito do STF investiga notícias falsas que ameaçam a integridade dos ministros da Suprema Corte e de seus familiares. 

Outro lado

Hang afirmou que não teme as consequências da operação da PF. “Acho que [os ministros do STF] estão no direito deles, de irem atrás se tem a veracidade ou não, se alguém fez alguma coisa ou não contra os membros ou contra a alta Corte. Mas muita transparência. Meu celular e meu computador vão provar que jamais que fiz algo contra os seus membros e a Corte. É por isso que eu uso tanto as redes sociais, temos milhões de pessoas nos seguindo, para termos uma voz para todos os brasileiros", afirmou Hang.

Roberto Jefferson afirmou, no Twitter, que mandado é "atitude soez, covarde, canalha e intimidatória" de Moraes. 

Já o deputado estadual de São Paulo Douglas Garcia disse que os agentes da PF estiveram em seu gabinete na Assembleia Legislativa de São Paulo e apreenderam computadores. O deputado disse que as buscas são ‘lamentáveis’.

Garcia postou um vídeo no Twitter nesta quarta criticando a operação da PF. Segundo Garcia, a investigação "apequena a Polícia Federal" e os ministros do STF estão "perseguindo" os alvos da operação. 

"Vocês querem calar a voz dos conservadores através das redes sociais através dessa perseguição danada que vocês estão fazendo", afirmou Garcia. 

Sara Winter afirmou que a PF levou seu notebook e celular e chamou o ministro do STF Alexandre de Moraes, relator do processo, de "covarde".

Em vídeo gravado por Biannchi, ele mostra que os agentes federais estiveram na casa dele às 6h18, mostra o mandado judicial e a mulher dele chorando. 

"Eu vou processar o STF. O inquérito para mim, humorista? [...] Vou mandar esse vídeo para todo mundo. A Bia Kicis, deputada federal, lá em Brasília, vou mandar para Carlos Bolsonaro. Eu não tenho medo de nada, não. Eu pago meus impostos", afirmou. "Eu não devo nada a ninguém", disse.

O R7 tenta contato com as defesas de Roberto Jefferson e Allan dos Santos.