Brasil PF tem mais 90 dias para investigar quem pagou defesa de Adélio Bispo

PF tem mais 90 dias para investigar quem pagou defesa de Adélio Bispo

A decisão foi tomada pelo juiz Bruno Savino, da 3.ª Vara Federal, que acolheu pedido feito pela Polícia Federal. Bispo se encontra preso em Campo Grande

PF tem mais 90 dias para investigar quem pagou defesa de Adélio Bispo

Adélio Bispo é levado para prisão em Campo Grande (MS)

Adélio Bispo é levado para prisão em Campo Grande (MS)

Ricardo Moraes/ Reuters - 08.09.2018

A Justiça Federal em Juiz de Fora (MG) autorizou a prorrogação do segundo inquérito contra Adélio Bispo de Oliveira que, na tarde de 6 de setembro, esfaqueou o então candidato à presidência Jair Bolsonaro. A decisão foi tomada pelo juiz Bruno Savino, da 3.ª Vara Federal, que acolheu pedido da Polícia Federal e a manifestação da Procuradoria nos autos da investigação sobre o financiador da defesa de Bispo.

A informação sobre a prorrogação do inquérito foi confirmada pela reportagem de 'O Estado de S. Paulo'.

Bispo golpeou Bolsonaro, que estava em campanha, em uma rua central de Juiz de Fora na tarde de 6 de setembro. Ele foi preso em flagrante e confessou o crime.

A PF indiciou o agressor por violação ao artigo 20 da Lei de Segurança Nacional - atentado pessoal por "inconformismo político". Ele está recolhido a um presídio de segurança máxima de Campo Grande (MS).

O primeiro inquérito da PF concluiu que o esfaqueador agiu sozinho. A segunda investigação foi instaurada ainda em setembro para descobrir quem financiou a defesa de Bispo.

Em 21 de dezembro, a PF fez buscas em endereços ligados ao advogado Zanone Manuel de Oliveira Júnior, defensor de Bispo.

fonte: Estadão Conteudo