Polícia Federal começa a ouvir presos na Lava Jato

Presos estão separados em celas com três ou quatro pessoas e permanecem sob custódia

Advogados dos executivos presos na operação Lava Jato, levam roupas, água mineral, comidas e colchões à sede da Polícia Federal

Advogados dos executivos presos na operação Lava Jato, levam roupas, água mineral, comidas e colchões à sede da Polícia Federal

Paulo Lisboa/Brazil Photo Press/Estadão Conteúdo

A Polícia Federal começa, na manhã deste sábado (15), a ouvir 20 presos na sétima etapa da operação Lava Jato, que apura denúncias de corrupção envolvendo a Petrobras. Quatro deles se apresentaram espontaneamente na noite de sexta-feira (14). O restante foi detido pela própria polícia.

Policiais ainda procuram outras cinco pessoas, uma delas com prisão preventiva decretada e quatro com prisão temporária. Segundo a PF, eles podem ser presos a qualquer momento.

Os 16 detidos chegaram às 4h20 de sábado ao aeroporto de Curitiba. O avião com os presos saiu de Brasília, passou por São Paulo para depois fazer uma escala no Rio de Janeiro. A previsão era que os presos chegassem entre 19h e 20h ao Paraná, mas uma pane deteve o avião no Rio até a madrugada de hoje.

Empreiteiras formavam espécie de "clube VIP"

Detidos na operação Lava Jato são transferidos para Curitiba


A polícia não divulga os nomes dos detidos nem dos foragidos. Os depoimentos deveriam começar às 10h, mas devem atrasar devido à chegada tardia dos presos à Superintendência da Polícia Federal no Paraná.

Os presos estão separados em celas com três ou quatro pessoas, e permanecem sob custódia na própria PF até o fim dos depoimentos. Depois, aguardam decisão da Justiça sobre uma possível transferência para unidades prisionais.

Lava Jato revela república de ladrões, diz jurista

Protógenes diz que juiz da operação Lava Jato tem recebido ameaças