Brasil Prefeitos mostram preocupação com o fim do Ministério das Cidades

Prefeitos mostram preocupação com o fim do Ministério das Cidades

Frente Nacional de Prefeitos se reuniu em São Paulo para discutir propostas e montar plano de ação para reunião com o presidente eleito, Bolsonaro (PSL)

Prefeitos reunião

Prefeitos da FNP fizeram reunião na Prefeitura de São Paulo

Prefeitos da FNP fizeram reunião na Prefeitura de São Paulo

MISTER SHADOW/ASI/ESTADÃO CONTEÚDO - 31.10.2018

Um grupo de prefeitos se reuniu na manhã desta quarta-feira (31) em São Paulo para discutir pautas que serão apresentadas ao presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), em 27 de novembro, durante a 74ª reunião geral da FNP (Frente Nacional de Prefeitos), que será realizada em São Caetano do Sul (SP).  A FNP também divulgou a carta que foi enviada ao presidente eleito Jair Bolsonaro.

Após reunião realizada no gabinete do prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), os nove prefeitos presentes demonstraram preocupação com o fim do Ministério das Cidades. Eles querem saber como ficará o andamento das obras federais em execução e quem fará a interlocução com os municípios no novo governo.

"Nossa preocupação está em saber como será a interlocução com o governo federal para a continuidade de programas que estão em andamento e questões como estrutura e programas de mobilidade urbana", destacou Covas.

Nesta terça-feira, (30), o novo presidente do PSL e deputado federal eleito por Pernambuco, Luciano Bivar, afirmou em entrevista a uma rádio de Recife que a pasta será extinta.

"O Ministério das Cidades vai acabar. Vamos fazer uma linha direta com as cidades e os Estados", declarou, sem dar mais detalhes sobre as mudanças.

No encontro, os prefeitos também discutiram a situação econômica e fiscal dos municípios, a continuidade de programas federais como o Minha Casa, Minha Vida, e outros temas que causam preocupação nos representantes, como questões ambientais e a reforma da previdência.

Prefeito de Curitiba (PR), Rafael Greca (PMN) lembrou que Bolsonaro teve 80% dos votos na capital paranaense e que não deve se esquecer da população que o elegeu. "Ouvir que teremos mais Brasil, menos Brasília soa como música para os meus ouvidos porque o Brasil somos nós, os municípios e a população que vive neles."

O evento contou também com a presença de Jonas Donizette (PSB), prefeito de Campinas e atual presidente da FNP. "Vamos levar três pontos principais para o presidente eleito que diz respeito ao desenvolvimento econômico e geração de empregos, como será o repasse de verbas para programas em andamento e as reformas", disse.

A FNP afirmou reconhecer o novo presidente. "Não faremos oposição a um governo que nem começou, vamos aguardar as resoluções que serão tomadas", disse Donizette.

O prefeito de Campinas também demonstrou preocupação com a questão ambiental e a continuidade do país no Acordo de Paris (tratado global de redução de CO2) e ressaltou que os municípios firmaram um acordo com a ONU (Organização das Nações Unidas). Assessores de Bolsonaro para a área rural chegaram a sugerir durante a campanha que o Brasil abandonasse o acordo, mas o então presidenciável voltou atrás e negou a proposta.

A Frente Nacional dos Prefeitos fez um pacto com a ONU sobre os objetivos globais de desenvolvimento sustentável. O Brasil foi o primeiro país a criar um selo aos municípios que aderissem aos objetivos.

Além de Covas, Donizette e Greca, participaram do encontro Cinthia Ribeiro (Palmas), Rodrigo Neves (Niterói), José Auricchio (São Caetano do Sul), Beto Preto (Apucarana), Elias Diniz (Pará de Minas) e Gustavo Reis (Jaguariúna).

Liberdade de imprensa

Os prefeitos também reafirmaram a importância da liberdade de imprensa. Em sua fala, Donizette disse que a vontade popular é "soberana". “Não é momento de críticas, não é momento de qualquer tipo de 'senão', é um momento de união do país. Nós estamos reafirmando nosso compromisso com as instituições democráticas, com a imprensa principalmente, a imprensa livre.”

Durante entrevista coletiva, Covas foi questionado sobre um possível apoio do PSDB ao novo governo, mas desconversou: “Neste momento estamos discutindo o que os municípios esperam deste novo governo, mais adiante, em um momento oportuno, esse assunto será debatido”.

Carta a Bolsonaro

No final do encontro, a Frente Nacional de Prefeitos divulgou a carta que foi enviada ao presidente eleito Jair Bolsonaro. Na carta, os prefeitos dizem que o resultado das urnas deve ser respeitado e que a eleição de Bolsonaro foi legítima. Citam a importância da soberania dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Falam do respeito à pluralidade e a diversidade partidária e ideológica e também afirma que estão comprometidos com o diálogo.

Veja a íntegra