Brasil Prefeitura de SP diz que vai acolher 300 refugiados venezuelanos

Prefeitura de SP diz que vai acolher 300 refugiados venezuelanos

Primeiro grupo, formado por 100 venezuelanos homens e mulheres solteiras e sem filhos deve chegar na cidade nesta quinta-feira (5)

  • Brasil | Márcio Neves, do R7

Refugiados que chegam a SP estão em Roraima

Refugiados que chegam a SP estão em Roraima

Fábio Gonçalves/FotoArena/Estadão Conteúdo - 29.01.2018

O prefeito João Dória anunciou nesta segunda-feira (2) que vai atender ao pedido da ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados) para a Cidade de São Paulo e que vai acolher 300 venezuelanos que estão em Roraima.

O pedido da ACNUR é de que São Paulo receba refugiados homens e mulheres solteiros e sem filhos. O primeiro grupo, de 100 venezuelanos, deve chegar nesta quinta-feira (5) em um voo da FAB.

Segundo a Casa Civil da Presidência da República, 590 venezuelanos serão deslocados de Roraima para outros estados. Eles viajaram nos próximos dias em 3 voos de 200 lugares —todos lotados. A maioria dos refugiados virá para São Paulo.

Perguntado se grávidas e crianças seriam recebidos, o prefeito João Dória afirmou que “não há nenhuma restrição, quem tomou a decisão de quem vem foi a ACNUR”.

Os venezuelanos serão acolhidos em dois CTA (Centros Temporários de Atendimento) que normalmente atende moradores de rua e que foram recém inaugurados nos bairros de São Mateus e Santo Amaro, mas que foram reservados exclusivamente para os refugiados que devem chegar em São Paulo nos próximos dias. 

Os locais foram escolhidos pois não estariam sendo utilizados, segundo a prefeitura, que afirmou ainda que os CTAs foram adaptados para que os refugiados possam guardar suas bagagens e terem aulas de português.

O curso será ministrado através de parcerias entre a prefeitura e entidades, empresas do setor de telemarketing também vão oferecer vagas que exigem espanhol fluente para os venezuelanos que se interessarem.

Últimas