Brasil Presidente da Câmara confirma votação do ajuste fiscal para semana que vem

Presidente da Câmara confirma votação do ajuste fiscal para semana que vem

Eduardo Cunha (PMDB-RJ) participou de evento da Força Sindical para festejar Dia do Trabalho

  • Brasil | Fernando Mellis, do R7

Em evento do Dia do Trabalhador nesta sexta-feira (1º) em São Paulo, o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), despistou sobre a possibilidade de o ajuste fiscal passar no Congresso Nacional, mas afirmou que o texto "está na pauta para ser votado na semana que vem".

— A mim não cabe objeção. Sou o presidente da Casa, vou pôr para votar. O governo é que tem que pôr sua maioria para aprovar e aqueles que não querem que aprove que constituam maioria para derrotar.

Sobre as possíveis mudanças no FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), Cunha informou que a alteração, se ocorrer, "não vai afetar o saldo existente até hoje".

— O FGTS foi criado para ser uma poupança do trabalhador e o trabalhador não está recebendo o equivalente a uma poupança. Como a gente não quer retroagir para não dar impacto nas contas públicas, vamos fazer [as mudanças] para os novos depósitos.

Leia mais notícias de Brasil e Política

Para o futuro, o presidente da Câmara disse que o impacto é "nenhum, zero".

— O governo financia projetos e cobra juros em cima desses projetos. O saldo existente [do FGTS] já está financiando alguma coisa. Os novos projetos que o governo faça vão ser baseados na realidade de que a remuneração vai ser diferente.

Questionado se isso vai mudar a forma do governo financia projetos, Cunha disse achar que "não, porque até esgotar esse saldo que tem hoje vai demorar muito tempo".

Últimas