Reforma da Previdência
Brasil Previdência: senador tenta acordo para votação ser semana que vem

Previdência: senador tenta acordo para votação ser semana que vem

Presidente da casa quer antecipar prazos e transferir primeiro turno para o próximo dia 11. Também está trabalhando para reforma sair ainda este ano

Alcolumbre diz que há resistência, mas está em negociação para acelerar

Alcolumbre diz que há resistência, mas está em negociação para acelerar

Roque de Sá/Agência Senado

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), tenta costurar um acordo para votar o primeiro turno da reforma da Previdência na próxima quarta-feira, 11, no plenário.

O calendário prevê a primeira votação no dia 24.

A ideia de antecipar os prazos, no entanto, enfrenta resistências.

"Alguns senadores ainda não estão convencidos disso, mas a gente vai conversar com eles para tentar fazer, dar celeridade a esse processo", disse o presidente do Senado em entrevista a jornalistas na Casa.

O relatório do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) foi aprovado na quarta-feira, 4, pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Com mudanças, a economia fiscal prevista em dez anos caiu de R$ 933,5 bilhões (resultado do texto aprovado na Câmara) para R$ 870,5 bilhões.

A PEC paralela, por sua vez, que prevê a inclusão de Estados e municípios na reforma e compensa a desidratação do texto principal, ainda não tem calendário definido.

Alcolumbre declarou estar "trabalhando" para que a proposta seja votada ainda neste ano.