Operação Lava Jato
Brasil Primeiro deputado condenado na Lava Jato se aposenta com R$ 28 mil

Primeiro deputado condenado na Lava Jato se aposenta com R$ 28 mil

Condenado a 13 anos e 9 meses de prisão, Nelson Meurer (PP-PR) manteve mandato até o começo de fevereiro, após se livrar de processo de cassação

Lava Jato

Meurer foi deputado por seis mantados seguidos

Meurer foi deputado por seis mantados seguidos

Viola Junior/Câmara dos Deputados - 11.12.2013

Condenado a 13 anos e nove meses de prisão pelo STF (Supremo Tribunal Federal), na operação Lava Jato, o ex-deputado federal Nelson Meurer (PP-PR), de 76 anos, receberá aposentadoria especial como ex-congressista de R$ 28.071,52 mensais. O primeiro pagamento já foi feito na folha de fevereiro.

Meurer manteve o mandato até o começo do mês passado. Ele estava na Câmara desde 1995. Em outubro, o Conselho de Ética decidiu por oito votos a quatro arquivar um pedido de cassação do político.

Mesmo que fosse cassado, Nelson Meurer ainda poderia solicitar a aposentadoria. Outros parlamentares que perderam o mandato conseguiram o benefício, como é o caso de José Dirceu (PT) e Roberto Jefferson (PTB).

O ex-deputado foi o primeiro político com foro especial a ser condenado na Lava Jato. As acusações contra ele eram de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

A Procuradoria-Geral da República identificou pagamentos de R$ 29 milhões feitos ao então deputado e ao filho dele. O dinheiro, segundo o processo, era pago a mando de Paulo Roberto Costa, que ocupava a diretoria de abastecimento da Petrobras.

No julgamento do STF, o advogado de Meurer, Michel Saliba, afirmou que o deputado é inocente e que toda acusação foi baseada em palavras de delatores. O defensor sustentou que o parlamentar não tinha "estofo", apesar de ser líder do PP, para articular o esquema entre o partido e a Petrobras.

A defesa já entrou com recurso contra a condenação de Meurer, o que ainda precisa ser analisado pelo do Supremo e não tem data para acontecer.

O R7 entrou em contato com o escritório do advogado Michel Saliba e aguarda retorno.