Brasil 'Protagonismo desnecessário custa caro ao Judiciário', lamenta Fux

'Protagonismo desnecessário custa caro ao Judiciário', lamenta Fux

Presidente do Supremo criticou a judicialização da política e elencou a separação dos Poderes como essencial para o Estado Democrático de Direito

Reuters
Fux criticou a chamada judicialização da política

Fux criticou a chamada judicialização da política

Rosinei Coutinho/SCO/STF - 29.10.2020

O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Luiz Fux, fez nesta terça-feira (17) críticas à chamada judicialização da política ao afirmar que o Poder que comanda paga um preço caro por assumir um protagonismo desnecessário.

Em palestra na abertura do VIII Fórum Jurídico de Lisboa, em texto distribuído pela assessoria de imprensa da presidência do STF, Fux elencou o princípio da separação dos Poderes como essencial para a manutenção do Estado Democrático de Direito, por estabelecer a harmonia entre o Judiciário, o Legislativo e o Executivo.

Leia mais: Segurança de Luiz Fux é reforçada após caso André do Rap

“[O Judiciário] paga um preço caro por assumir um protagonismo desnecessário”, ponderou ele, ao criticar a chamada judicialização da política, em que partidos políticos, na maioria das vezes, recorrem à Corte para sanar problemas que os parlamentares não resolvem no âmbito do Legislativo por evitar “pagar o preço social”.

Na palestra, realizada virtualmente em razão da pandemia de covid-19, o presidente do STF destacou as eleições municipais brasileiras realizadas no domingo (15) como exemplo maior da soberania popular em palestra.

Últimas