Brasil Quatro senadores ficarão de fora da votação sobre processo de impeachment

Quatro senadores ficarão de fora da votação sobre processo de impeachment

Dois deles alegaram questões médicas para se ausentarem de sessão no plenário

  • Brasil | Do R7

Presidente do Senado, Renan Calheiros, comanda a votação

Presidente do Senado, Renan Calheiros, comanda a votação

Agência Estado

A votação pela abertura ou não de processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff não terá a participação de quatro senadores, entre os 81 que compõem o Senado.

Um deles é Jader Barbalho (PMDB-PA), que alegou impossibilidade por estar internado para realizar radioterapia em hospital paulistano. Outro afastado por licença médica é Eduardo Braga, aliado de Michel Temer, que está prestes a assumir a presidência do Brasil.

O ex-senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS), cassado na terça-feira (10), não irá votar e o seu primeiro suplente, o empresário Pedro Chaves dos Santos (PSC-MS), ainda não foi convocado para ocupar a vaga aberta no Senado.

Senadores governistas admitem derrota e prometem questões de ordem para atrasar votação

Outro que já adiantou que ficará de fora da votação é o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

Últimas