Coronavírus

Brasil Queiroga não fixa data para doses da Johnson: 'Quando embarcarem'

Queiroga não fixa data para doses da Johnson: 'Quando embarcarem'

Previsões anteriores do ministro para a chegada de 3 milhões de vacinas da farmacêutica Janssen, dos EUA, não se confirmaram

  • Brasil | Do R7

Queiroga vacina o ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes

Queiroga vacina o ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes

Divulgação/Ministério da Saúde

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou nesta quarta-feira (16) não ser possível estimar prazo para a chegada das 3 milhões de doses da vacina da farmacêutica Janssen, da Johnson & Johnson, contra a covid-19.

"Sobre a chegada da Janssen, só vai ter confirmação quando embarcar nos EUA", afirmou o ministro em visita ao Hospital Regional do Guará, no Distrito Federal. No local, ele aplicou doses de vacina no ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, e no presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães.

O último prazo dado pelo ministro para a chegada dos insumos tinha sido justamente esta quarta-feira (16), o que não se concretizou. Anteriormente, também se previu a chegada na quinta-feira passada, dia 10, o que tampouco ocorreu. O governo brasileiro espera a liberação por parte do FDA (agência reguladora de medicamentos dos EUA) da exportação do lote.

A vacina é fabricada pela Janssen, que é o braço farmacêutico da companhia Johnson & Johnson, e é ministrada em dose única, diferentemente das outras vacinas aplicadas no Brasil atualmente.

A entrega faz parte de uma antecipação de doses negociadas entre o governo brasileiro e a fabricante. No total, 38 milhões de doses estão contratadas para entrega no último trimestre do ano. As 3 milhões de doses antecipadas sairão desse montante.

A falta de um novo prazo para a vacina da Janssen foi comentada por Queiroga ao analisar a possibilidade de volta às aulas, o que governo pretende acelerar.

"Estamos há muito tempo sem aulas. Tem a questão a segurança alimentar, a socialização. Temos que acelerar a volta às aulas independentemente da vacinação dos professores. A vacina completa com as duas doses ainda pode demorar e isso não pode ser em prejuízo aos estudantes. Estamos trabalhando em protocolos de segurança".

Últimas