Operação Lava Jato
Brasil Relator da 2ª instância concluiu voto para novo julgamento de Lula

Relator da 2ª instância concluiu voto para novo julgamento de Lula

Finalização do voto no caso do sítio de Atibaia deixa mais próximo o julgamento que pode o manter o ex-presidente atrás das grades

Lula Lava Jato

Gebran Neto já encaminhou seu parecer ao revisor

Gebran Neto já encaminhou seu parecer ao revisor

Divulgação/Sylvio Sirangelo/TRF4

O relator da Operação Lava Jato no TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), João Pedro Gebran Neto, já concluiu seu voto sobre o recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e outros réus na ação do Sítio de Atibaia.

Ele encaminhou seu parecer ao revisor, Leandro Paulsen. Com a movimentação, o petista fica mais próximo de um novo julgamento em segunda instância. Atualmente, ele cumpre pena de 8 anos, 10 meses e 20 dias no caso triplex, imposta pelo Superior Tribunal de Justiça.

Leia também: Empresário amigo de Lula quer vender sítio de Atibaia

O petista foi condenado em 1.ª instância pela juíza Gabriela Hardt, em fevereiro, a 12 anos e 11 meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro nas obras feitas pela Odebrecht e pela OAS na propriedade rural. Contra a decisão, Lula apelou, e pediu absolvição.

A Lava Jato também recorreu. Em parecer sobre os apelos, a Procuradoria da República da 4ª Região, que atua na segunda instância, concluiu que a pena do ex-presidente deve ser aumentada.

Em sentença, Hardt considerou que o valor de R$ 1 milhão empregado por OAS, e Odebrecht no Sítio Santa Bárbara foram propinas em benefício do ex-presidente. Ela ressalta que a denúncia oferecida pela Operação Lava Jato narra "reforma e decoração de instalações e benfeitorias" que teriam sido realizadas em benefício de Luiz Inácio Lula da Silva e família.