Reforma da Previdência
Brasil Relator diz que trabalha parecer a partir da proposta do governo

Relator diz que trabalha parecer a partir da proposta do governo

O deputado Samuel Moreira afirma que o objetivo é estabelecer o diálogo para alcançar um texto que garanta economia de R$ 1 trilhão em uma década

O relator, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP)

O relator, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP)

DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO - 25/04/2019

O relator da reforma da Previdência na comissão especial da Câmara, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), disse nesta segunda-feira (20) que está trabalhando em seu parecer a partir da proposta enviada pelo governo.

Ele ressaltou que, mesmo que o relatório inclua um substitutivo ao texto da equipe econômica, o objetivo é estabelecer o diálogo com lideranças e com o governo para alcançar um texto capaz de garantir economia de ao menos R$ 1 trilhão em uma década.

Leia também: Governo não tem maioria para reforma da Previdência, diz Ramos

Moreira esteve nesta segunda na sede do Ministério da Economia para se reunir com o ministro Paulo Guedes e o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho. Ele disse que sentiu uma abertura dentro do governo para negociar as mudanças no texto.

"O substitutivo é um termo absolutamente técnico, não há novidade em relação a isso. Estamos trabalhando em cima do projeto que o governo enviou. Esse é o projeto, só tem esse projeto. Não há outro, e vamos continuar assim. Se houver alterações, vamos apresentar o substitutivo", disse o relator. "Não há qualquer desentendimento, pelo contrário, nós estamos cada vez mais unidos, unindo cada vez mais os partidos", acrescentou Moreira.

Guedes, por sua vez, também buscou ressaltar a afinação entre a equipe econômica e o relator. "Estamos confiantes no trabalho do relator, estamos confiantes no trabalho do Congresso e otimistas quanto ao compromisso de conseguirmos aprovar a reforma com a potência fiscal necessária para desbloquear o horizonte de investimentos no Brasil nos próximos 10, 15 anos, o Brasil retomar o crescimento e conseguir estabilidade fiscal, que é o grande objetivo", disse o ministro.

Apesar de sinalizar para a possibilidade de mudanças no texto, Moreira evitou dar qualquer detalhe e disse apenas que o relatório ainda não está pronto, pois emendas ainda estão sendo apresentadas e é preciso analisá-las. Ouvir deputados, inclusive da oposição, também está nos planos do relator. Ele pretende apresentar seu parecer até 15 de junho, "ou até antes".

Sem uma ponte com a ala política do governo, o Congresso Nacional trabalha para tomar a dianteira nas negociações pela reforma da Previdência. O relator, porém, tem destacado a necessidade de manter o diálogo. Nos últimos dias, integrantes da equipe econômica se reuniram com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o relator para tratar da proposta.

"Temos que ter o governo junto, é evidente. O governo inclusive tem um partido importante que é o PSL. Temos que estar juntos. Temos a liderança do nosso presidente da Câmara, que é o Rodrigo Maia, que tem competência para isso. Precisamos tirar a Previdência da frente, resolver esse assunto, o Brasil está com 13 milhões de desempregados. Temos que resolver esse assunto", afirmou Moreira.

O relator disse ter convicção sobre a necessidade de se ter uma meta para a economia com a reforma da Previdência. "Eu já tenho convicção disso há muito tempo", afirmou o tucano, sobre a necessidade de a proposta economizar R$ 1 trilhão em dez anos.

"A situação é grave, por isso essa é uma meta coerente. Vamos buscá-la, vamos conversar com os líderes. Para funcionar, o relator precisa ouvir", disse. "Vamos buscar uma meta coerente para equilibrar as contas", comentou.

Segundo Moreira, a aprovação do relatório é uma questão política e logo os líderes devem intensificar os trabalhos na busca dos 308 votos necessários para a aprovação em plenário.