CPI da Covid

Brasil Renan Calheiros e Flávio Bolsonaro voltam a discutir na CPI: 'Me erra'

Renan Calheiros e Flávio Bolsonaro voltam a discutir na CPI: 'Me erra'

Filho do presidente citou investigação contra Calheiros no STF, ao que relator respondeu relembrando rachadinha na Alerj

Senadores já discutiram em maio, depois que Flávio chamou relator de "vagabundo"

Senadores já discutiram em maio, depois que Flávio chamou relator de "vagabundo"

Montagem/ R7/Agência Senado

O senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) e o relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), voltaram a discutir nesta quarta-feira (14) durante o depoimento à comissão, que ouvia a diretora da Precisa Medicamentos, Emanuela Medrades

A discussão se iniciou quando o filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) citou matéria do site Poder 360, que aponta investigação da Polícia Federal de suposta ligação do presidente da Precisa, Francisco Maximiano, e Renan Calheiros. 

A reportagem afirma que a PF apura supostos repasses feitos pela empresa Global (da qual Maximiano também é presidente) por meio de Milton Lyra a Calheiros. Todos os envolvidos negam a ligação, que começou a ser investigada no ano de 2017.

Flávio ainda acusou Calheiros de perseguição contra ele e o governo Bolsonaro. O senador finalizou a fala perguntando ao relator se ele era investigado pela CPI. 

"Quem é acusado de ter operador é o senador Flávio Bolsonaro. Quando ele se dirige a mim eu acho que ele está se dirigindo a pessoa errada. Eu acho que ele deve estar se dirigindo ao [Fabrício] Queiroz, ao Adriano da Nóbrega, eu acho que ele está se dirigindo a essas pessoas. Por favor, me erra", respondeu Calheiros, relembrando as acusações contra Flávio por desviar salários de assessores na Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro).

Em maio, os senadores discutiram depois que Calheiros pediu a prisão do ex-secretário Especial de Comunicação Social da Presidência da República, Fabio Wajngarten, por mentir em seu depoimento à CPI. 

"Imagina a situação, um cidadão honesto ser preso por um vagabundo como o senador Renan Calheiros", afirmou na época Flávio Bolsonaro, ao que o relator respondeu também falando do caso das rachadinhas.

Últimas