CPI da Covid

Brasil Renan Calheiros torna advogado da Precisa investigado pela CPI

Renan Calheiros torna advogado da Precisa investigado pela CPI

Túlio Silveira presta depoimento nesta quarta-feira (18); ele optou por ficar em silêncio durante boa parte da sessão

  • Brasil | Do R7

Mais cedo, Renan tornou Ricardo Barros investigado

Mais cedo, Renan tornou Ricardo Barros investigado

Jefferson Rudy/Agência Senado - 18.08.2021

O relator da CPI da Covid, Renan Calheiros (MDB-AL), anunciou na tarde desta quarta-feira (18) que o depoente Túlio Silveira passa a ser investigado pela comissão. O advogado representa a empresa Precisa Medicamentos.

O advogado ficou calado a maior parte do tempo da sessão, ou sempre que foi questionado sobre detalhes da negociação da Precisa com o Ministério da Saúde para trazer ao Brasil 20 milhões de doses da vacina Covaxin.

Há dúvida entre os senadores se Túlio Silveira é somente um advogado da empresa - ele não diz não possuir cargo e afirma ser apenas um prestador de serviço contratado - ou se a representa como um funcionário da empresa que teria interesses na negociação.

"Considerando que o depoente optou pelo silêncio sem ajudar os trabalhos da comissão. Considerando que o depoente não apresentou a procuração que mostraria que ele representava como advogado a Precisa, decido colocá-lo como investigado dessa investigação", disse o relator.

Mais cedo, Renan Calheiros também tornou investigado o líder do Governo, deputado federal Ricardo Barros (PP-PR).

A sessão desta quarta foi aberta com a tentativa da defesa do depoente de evitar o depoimento. A medida foi defendida também pelo senador governista Marcos Rogério (DEM-RO).

De acordo com o parlamentar, a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) é clara em seu regulamento ao não aceitar que advogados deem detalhes de suas ações nessa função em investigações.

A informação foi rebatida pela senadora Simone Tebet (MDB-MS), que declarou que Túlio Silveira aparecia no processo como parte envolvida na negociação, não apenas como advogado da empresa Precisa Medicamentos.

Últimas