CPI da Covid

Brasil Reverendo apresenta atestado para não depor na CPI da Covid

Reverendo apresenta atestado para não depor na CPI da Covid

Amilton Gomes de Paula informou "impossibilidade momentânea" de comparecer à sessão de quarta-feira (14) do Senado

Senadores Randolfe Rodrigues, Omar Aziz e Renan Calheiros, em sessão da CPI

Senadores Randolfe Rodrigues, Omar Aziz e Renan Calheiros, em sessão da CPI

Marcos Oliveira/Agência Senado-08/07/2021

Com depoimento à CPI da Covid marcado para esta quarta-feira (14), o reverendo Amilton Gomes de Paula apresentou nesta segunda (12) à presidência do colegiado um atestado médico informando da "impossibilidade momentânea" de comparecer ao Senado.

Leia também: Ricardo Barros volta a pedir ao STF para CPI antecipar seu depoimento

O religioso é presidente da Senah (Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários) e, segundo o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), negociou a contratação de 400 milhões de doses da vacina contra a covid-19 da AstraZeneca em nome do governo brasileiro com o aval do ex-diretor do Departamento de Imunização do Ministério da Saúde, Laurício Monteiro Cruz.

O comando da CPI ainda não informou se irá aceitar o atestado do reverendo e mudar o cronograma de oitivas planejadas para esta semana.

A próxima reunião da CPI da Covid no Senado será nesta terça-feira (13) para ouvir o depoimento de Emanuela Medrades, diretora técnica da Precisa Medicamentos, empresa que teria feito intermediação nas negociações para compra da vacina Covaxin.

Leia também: Entenda as suspeitas relacionadas à compra da vacina Covaxin

Na quarta-feira (14), estava previsto o reverendo Amilton Gomes de Paula, na quinta-feira (15), o coronel Marcelo Blanco, ex-diretor-substituto de logística do Ministério da Saúde e, na sexta (16), Cristiano Carvalho, representante oficial da empresa Davati Medical Supply no Brasil.

O líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (Progressistas-PR), teve o depoimento marcado para o dia 20. Com oitiva desmarcada na semana passada, Barros chegou a recorrer ao STF (Supremo Tribunal Federal) para ser ouvido, após denúncias de irregularidades em contrato de compra da vacina indiana Covaxin pelo Ministério da Saúde envolverem seu nome.

Veja a agenda da CPI nos próximos dias

Terça-feira (13) - Emanuellle Medrades
Quarta-feira (14) - Reverendo Amilton Gomes de Paula
Quinta-feira (15) - Coronel Marcelo Blanco
Sexta-feira (16) - Cristiano Carvalho (Davati)
Terça-feira (20) - Deputado federal Ricardo Barros

Últimas