Salles nega ataque a Maia e diz que perfil em rede social foi hackeado

O ministro afirmou que sua conta no Twitter foi usada indevidamente em publicação que chama o presidente da Câmara de "Nhonho"

Ricardo Salles nega ataque a Rodrigo Maia e diz ter sido hackeado

Ricardo Salles nega ataque a Rodrigo Maia e diz ter sido hackeado

Adriano Machado/ REUTERS 22.10.2020

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, negou nesta quinta-feira (29) que tenha atacado o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e disse que sua conta no Twitter teria sido usada indevidamente por outra pessoa. "Apesar de diferenças de opinião sempre mantive relação cordial", defendeu Salles na publicação. 

Na noite de quarta-feira (28), cinco dias após Maia dizer que o ministro estava "destruindo o próprio governo", Salles chamou o presidente da Câmara de "Nhonho", a palavra se refere a uma pessoa "tonta", que só fala besteira, mas também pode ser uma alusão a um personagem gordinho do seriado Chaves, da TV mexicana.  A publicação foi apagada. 

O posicionamento de Maia e de outros membros do Legislativo, como Davi Alcolumbre, presidente do Senado, foram dados após Salles se referir ao ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos — responsável pela articulação política do governo—, como "Maria Fofoca". Os ministros fizeram as pazes, mas o caso repercutiu entre os parlamentares.

Alcolumbre e lideranças partidárias e do governo saíram em defesa de Ramos e elogiaram o trabalho do ministro. Já o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, foi mais contundente nas críticas e disse que Salles, "não satisfeito em destruir o meio ambiente do Brasil, agora resolveu destruiur o próprio governo".

Em nota, o Ministério do Meio Ambiente disse que já foi feito contato com Maia para esclarecer o ocorrido:

"O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, já encaminhou mensagem diretamente ao Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, explicando que não publicou tal mensagem e que vai apurar a utilização indevida de sua conta."