CPI da Covid

Brasil Senador Randolfe Rodrigues diz já ter assinaturas para CPI da Covid

Senador Randolfe Rodrigues diz já ter assinaturas para CPI da Covid

A comissão deve analisar as ações do governo federal no enfrentamento da pandemia no país, especialmente no Amazonas

Agência Estado
Pedido de abertura deve ser protocolado hoje

Pedido de abertura deve ser protocolado hoje

Pedro França/ Agência Senado 01.02.2019

O senador Randolfe Rodrigues (AP) anunciou que obteve a quantidade necessária de assinaturas para protocolar a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito da covid-19 no Senado. Segundo o requerimento, a CPI terá como objetivo "apurar as ações e omissões do governo federal no enfrentamento da covid-19 no Brasil e, em especial, no agravamento da crise sanitária no Amazonas".

O requerimento obteve 27 assinaturas, segundo a assessoria do líder da Rede no Senado, e deve ser protocolado ainda nesta quarta-feira (3). Depois, seguirá para a aprovação do recém-empossado presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Em paralelo à CPI do Senado, há uma articulação para que também seja aberta uma CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito), com participação da Câmara e do Senado. Para isso, porém, seria necessário conseguir assinaturas de 171 deputados.

O documento aponta uma atuação "sistemática" do governo na violação de direitos fundamentais básicos à vida e à saúde da população. De acordo com o requerimento, desde o início da pandemia no País, "o governo federal tentou impedir que os entes federados pudessem tomar medidas para diminuir o ritmo da propagação do vírus, como o isolamento social, o uso de máscara e álcool em gel".

No documento, o senador ressalta o atraso no início da campanha de vacinação, mesmo diante da falta de leitos e do aumento nos registros de morte e casos de covid-19. Ele responsabiliza o governo federal pela falta de planejamento para lidar com a crise de saúde no Amazonas, marcada pela falta de oxigênio nos hospitais da capital Manaus.

"As omissões e ações erráticas do governo federal não podem mais passar incólumes ao devido controle do Poder Legislativo", afirma o documento.

Últimas