CPI da Covid

Brasil Senadora dá 'puxão de orelha' em colegas sobre governadores na CPI

Senadora dá 'puxão de orelha' em colegas sobre governadores na CPI

Soraya Thronicke, de partido aliado ao governo, cobrou ação individual dos senadores para investigar estados e municípios

  • Brasil | Do R7

Competência de investigar governadores é das respectivas Assembleias estaduais

Competência de investigar governadores é das respectivas Assembleias estaduais

Pedro França/Agência Senado - 29.06.2021

A senadora Soraya Thronicke (PSL-MS) protagonizou nesta quarta-feira (18) uma discussão com parlamentares governistas na CPI da Covid e deu um puxão de orelha nos colegas que cobram a investigação maior de governadores na comissão.

A fala veio depois de discurso do senador governista Marcos Rogério (DEM-RO), que voltou a exigir investigações contra supostos desvios na compra de insumos pelo Consórcio Nordeste, formado por governadores da região.

"O Brasil não se resume ao Consórcio Nordeste, o Brasil não se resume ao Nordeste; além dos 9 estados, nós temos mais 18 unidades na federação. O senhor sabe quantos documentos chegaram do seu estado de Rondônia?", disse a senadora.

"A gente cobrar o tempo inteiro cansa a população, que entende que nós não estamos fazendo nada. E nós estamos sim. Eu também oficiei o Tribunal de Contas do meu estado. Nós sabemos que os deputados estaduais têm dificuldade em instaurar CPIs. Mas isso não quer dizer que nós não iremos cobrar dia e noite: cadê as CPIs estaduais?"

A investigação de governadores é um tema que fez parte da CPI desde sua instalação, em abril. Naquele mês, aliados do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se articularam para adicionar ao objeto de investigação da comissão a atuação de governadores e prefeitos no enfrentamento à pandemia, além do foco principal: as possíveis omissões do governo Bolsonaro.

O metódo não rendeu. Como previsto na Constituição, a responsabilidade de investigação dos governadores é compete às respectivas Assembleias Estaduais, e não ao Senado. Os governistas até conseguiram a convocação de dez governadores, mas o STF (Supremo Tribunal Federal) impediu a manobra, considerando jurisprudência anterior da Corte.

Além de algumas CPIs em alguns estados, governadores e prefeitos foram atingidos principalmente por ações da Polícia Federal. Desde o início da pandemia, já foram mais de 100 operações, entre elas algumas que atingiram diretamente a cúpula das gestões de estados como Rio de Janeiro, Pará e Amazonas. 

Últimas