Operação Lava Jato
Brasil STF inicia sessão que pode tornar Aécio Neves réu

STF inicia sessão que pode tornar Aécio Neves réu

Senador do PSDB-MG foi acusado após receber R$ 2 milhões em espécie do sócio da JBS e delator, Joesley Batista

STF inicia sessão que pode tornar Aécio Neves réu

Poderá ser a primeira vez que Aécio vira réu no STF

Poderá ser a primeira vez que Aécio vira réu no STF

Waldemir Barreto/Agência Senado - 4.4.2017

A Primeira Turma do STF (Supremo Tribunal de Justiça) começou por volta das 14h desta terça-feira (17) a sessão que vai decidir se o senador Aécio Neves (PSDB-MG) será processado pelos crimes de corrupção passiva e tentativa de embaraçar investigação de infração penal que envolva organização criminosa.

Se a maioria dos cinco ministros entender que há elementos suficientes para a continuidade da ação penal, será a primeira vez que Aécio se tornará réu no Supremo.

Integram a turma os ministros Marco Aurélio Mello (relator), Alexandre de Moraes (presidente), Luiz Fux, Rosa Weber e Luís Roberto Barroso.

A denúncia da PGR (Procuradoria-Geral da República) foi feita por causa do flagrante do pagamento de R$ 2 milhões feito a mando de um dos sócio da JBS, Joesley Batista, ao senador. 

Também são investigados no mesmo caso a irmã de Aécio, Andrea Neves, que participou do pedido de dinheiro, o primo dele, Frederico Pacheco, que foi buscar os valores, e Mendherson Souza Lima, assessor do senador Zezé Perrella (PSDB-MG) na época em que foi feita a entrega de dinheiro. Ele também é acusado de intermediar a transação. Os três chegaram a ser presos pela Polícia Federal no ano passado. 

A PGR sustenta que se tratou de propina paga pela JBS ao senador. A defesa dele, por outro lado, garante que era uma transação entre pessoas físicas, um empréstimo para pagar advogados, e que não houve qualquer contrapartida para o empresário.