Brasil STF mantém afastado prefeito paraense por fraude em licitações

STF mantém afastado prefeito paraense por fraude em licitações

Ronaldo Lopes, prefeito eleito de Igarapé-Açu (PA), é acusado de fraude em licitações com prejuízo de mais de R$ 7 milhões aos cofres públicos

  • Brasil | Do R7

Cidade está em sua terceira troca de prefeito em 3 anos

Cidade está em sua terceira troca de prefeito em 3 anos

Reprodução

O STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu manter afastado Ronaldo Lopes, prefeito eleito de Igarapé-Açu, cidade distante 100 km da capital do Pará, apontado por envolvimento em fraude em licitações que causaram prejuízos de mais de R$ 7 milhões para a cidade.

“Tem-se que a decisão proferida pelo Juízo de origem e referendada pela desembargadora relatora do Agravo de Instrumento [um recurso] que se seguiu, apontam para um possível direcionamento de licitações, que teriam gerado aos cofres públicos um prejuízo superior a R$ 7 milhões, destacando que seu retorno à chefia do Poder Executivo municipal representaria fundados riscos para a instrução processual”, escreveu o presidente do STF, Dias Toffóli, em sua decisão.

Ronaldo Lopes está afastado do cargo há quase 8 meses, foi sucedido pelo vice-prefeito Nivaldo Costa, que morreu em decorrência da covid-19. Atualmente a cidade de cerca de 37 mil habitantes é governada pelo presidente da Câmara Municipal, Normando Menezes .

O prefeito afastado tentou recorrer ao STF para voltar ao cargo, alegando que  a prorrogação desse afastamento representa risco de lesão à ordem pública e administrativa do Município, podendo comprometer a efetividade de políticas de prevenção e de combate à disseminação do coronavírus. 

Entretanto, Toffoli não aceitou os argumentos e decidiu manter o afastamento, já que Ronaldo Lopes tem quatro ações judiciais relacionadas a fraudes em processos licitatórios da cidade e argumentou ainda que não seria adequado mais uma troca no comando do Poder Executivo local, “ainda mais de uma forma assim abrupta, com as consequentes trocas de posição de comando”.

Últimas