Brasil Supremo tira deputado Picciani da cadeia e concede prisão domiciliar 

Supremo tira deputado Picciani da cadeia e concede prisão domiciliar 

Defesa alega que o deputado tem doença grave e tratamento é incompatível com o presídio. Picciani foi preso por supostamente receber propina 

STF determina prisão domiciliar de Picciani

STF determina prisão domiciliar de Picciani

Tomaz Silva/Arquivo/Agência Brasil

O STF (Supremo Tribunal Federal) aceitou nesta terça-feira (27), por 2 votos a 1, que o deputado estadual Jorge Picciani (PMDB-RJ) passe a cumprir prisão domiciliar. Ele está preso na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, na zona norte do Rio.

O ministro Dias Toffoli acatou o pedido da defesa de que o deputado tem uma doença grave e o tratamento é incompatível com as instalações carcerárias. Os advogados apresentaram exames que mostram que Picciani passou por uma cirurgia para retirada da bexiga e da próstata, por causa de um câncer, e precisa ser submetido a um tratamento pós-operatório. O entendimento foi seguido pelo ministro Celso de Mello.

Já o ministro Edson Fachin entendeu que a decisão deveria ser da Justiça Federal do Rio de Janeiro. Os ministros Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski não participaram da sessão.

Picciani, presidente afastado da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) está preso desde novembro na Operação Cadeia Velha. O deputado supostamente recebia propina para favorecer empresários do setor de transporte de passageiros.