Operação Carne Fraca
Brasil Temer defende "fiscalização especial" em empresas citadas na Operação Carne Fraca

Temer defende "fiscalização especial" em empresas citadas na Operação Carne Fraca

Presidente convidou embaixadores para irem a uma churrascaria comer carne brasileira

Temer defende "fiscalização especial" em empresas citadas na Operação Carne Fraca

Temer e os ministros da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (à direita) e da Agricultura (à esqueda) buscam acalmar exportadores

Temer e os ministros da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (à direita) e da Agricultura (à esqueda) buscam acalmar exportadores

Agif/Folhapress

Após a deflagração da Operação Carne Fraca, o presidente da República, Michel Temer (PMDB), convocou uma reunião com ministros e embaixadores para defender a procedência dos produtos nacionais. Ao final do encontro, Temer disse que os 21 frigoríferos supostamente envolvidas em eventuais irregularidades serão inseridas em um "regime especial de fiscalização" e conduzidos por uma "força tarefa específica".

O presidente destaca que apenas seis dos 21 frigoríficos com possíveis irregularidades exportaram nos últimos dias e que os países que receberam essas carnes serão notificados a respeito dos problemas.

— A partir de amanhã o Ministério da Agricultura deve informar os países que receberam esses produtos e a origem empresa por empresa.

Empresa investigada na Carne Fraca tinha acesso ao sistema de fiscalização do governo

A fala de Temer foi feita após o término de um encontro com embaixadores de diversos países e com os ministros da Agricultura, Blairo Maggi, e da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira. Segundo o presidente, os frigoríferos do País que exportam carnes estão com as portas abertas para que os importadores os visitem e inspecionem pressoalmente a produção nacional.

— A apuração não é no sistema agropecuário brasileiros, mas no desvio de conduta de alguns funcionários em pouquíssimas empresas. [...] Todos as [empresas] exportadoras estão abertas à inspeção dos países importadores e da inspeção rigorosa brasileira.

O presidente destacou ainda a confiança existente nas carnes de origem nacional e reforça que a carne brasileira "tem conquistado o consumidor e obtido a aprovação dos mercados mais exigentes" ao redor do mundo. 

— Ao chegar aos seus destinos, os produtos são sujeitos a inspeção local e nunca tivemos nenhuma relação em muitos anos. [...] Somente em 2016, foram expedidos 853 mil partidas do Brasil para o exterior. Apenas 184 delas foram consideradas fora da conformidade, a maioria por questões não sanitárias.

Ao final de sua fala direcionada aos embaixadores dos países que compram carnes brasileiras, Temer os convidou para que após o encontro eles saiam para "comer carne brasileira" em uma churrascaria.

Banco Central bloqueia R$ 2 milhões de 46 investigados na Operação Carne Fraca

Após escândalo, partidos e produtores europeus pedem suspensão de carne brasileira

Após a fala de Temer, o ministro da Agricultura pediu que embaixadores tranquilizem seus respectivos países. Maggi destaca que a Operação Carne Fraca vai continuar reforça que não vai aceitar que a reputação de "empresas idóneas sejam colocadas em cheque".

— Todo os sistemas de produção agropecuária no Brasil não têm muito tempo de estoque. [...] O perigo neste momento é que se a maioria dos países colocar um embargo [à exportação de carne brasileira], em 10 dias o sistema de produção nacional entra em colapso. [...] Ajudem o Brasil neste momento. O agronegócio é o que tem suportado a economia do País nos últimos anos.