Temer desiste de pedir suspensão de inquérito contra ele no Supremo, diz advogado

STF só julgaria pedido depois que fosse realizada perícia em áudio com o presidente

O presidente Michel Temer

O presidente Michel Temer

Carolina Antunes/16.12.2015/Divulgação

O advogado do presidente Michel Temer, Antonio Cláudio Mariz de Oliveira, afirmou nesta segunda-feira (22) que entrou com um novo pedido no Supremo Tribunal Federal (STF) para que o inquérito que investiga o peemedebista por corrupção passiva, obstrução de Justiça e organização criminosa não seja suspenso.

No sábado, ele havia pedido que a investigação pare até a conclusão de uma perícia no áudio da conversa entre Temer e o empresário Joesley Batista, da JBS.

Mais cedo, a presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministra Cármen Lúcia, havia informado aos demais ministros que o pedido da defesa do presidente Michel Temer para suspender o inquérito contra o peemedebista seria pautado para julgamento apenas após a conclusão da perícia nos áudios gravados pelos empresários da JBS.

De acordo com o despacho do ministro Edson Fachin, no qual autorizou a Polícia Federal a periciar os quatro áudios gravados pelo delator Joesley Batista, a defesa do presidente Temer e a Procuradoria-Geral da República terão um prazo de 24 horas para se manifestarem após terem acesso ao resultado da análise do material.

Como o equipamento de gravação de áudio está sendo transportado dos Estados Unidos para o Brasil, e ainda há um prazo de 24 horas para as manifestações, isso significa que o julgamento em plenário sobre o caso, que inicialmente poderia acontecer na próxima quarta-feira (24), poderá ser adiado.

Leia mais notícias de Brasil