“Toda anistia é questionável pois estimula o desprezo à lei e gera desconfiança”, diz Sérgio Moro

Juiz da Lava Jato divulgou nota contra a possível anistia ao caixa 2

“Toda anistia é questionável pois estimula o desprezo à lei e gera desconfiança”, diz Sérgio Moro

“Toda anistia é questionável pois estimula o desprezo à lei e gera desconfiança”, diz Sérgio Moro

“Toda anistia é questionável pois estimula o desprezo à lei e gera desconfiança”, diz Sérgio Moro

Lucio Bernardo Jr./04.08.2016/Câmara dos Deputados
Nota publicada pelo juiz Sergio Moro

Nota publicada pelo juiz Sergio Moro

Reprodução/R7

O juiz Sérgio Moro, responsável pelos inquéritos de primeira instância da Operação Lava Jato, se manifestou, por meio de nota, nesta quinta-feira (24) sobre a possível anistia ao caixa 2 que estaria sendo articulada na Câmara dos Deputados.

— Toda anistia é questionável pois estimula o desprezo à lei e gera desconfiança, diz o texto.

O juiz justificou a sua manifestação argumentado que se sentia obrigado a opinar sobre ao assunto diante das notícias da manobra que estaria em curso entre os parlamentares. Ele vai além e explica que a anistia às doações eleitorais não registradas (caixa 2) pode beneficiar condutas de corrupção e lavagem de dinheiro de réus, o que impactaria não só na Lava Jato, mas em 'toda a democracia brasileira'.

Com a discussão, a hashtag #AnistiaCaixa2NAO está entre os assuntos mais comentados na rede de microblogs Twitter.

Diante da intensa repercussão, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, decidiu adiar a votação do pacote anticorrupção de hoje para a próxima terça-feira (29)

Mais cedo, Maia disse aos jornalistas que não havia anistia ao caixa 2, já que o crime de caixa 2 não existe, não está tipificado. Segundo ele, o texto do pacote anticorrupção trataria apenas de tipificar o crime de doações ilegais de campanha, caixa 2. 

Procuradores e o próprio juiz Moro, no entanto, se manifestaram explicando que a anistia expressa na ao crime na lei anticorrupção pode levar a anistia de outros crimes. Por não ser crime, os réus no mensalão e na Lava Jato foram condenados por outros delitos (corrupção, desvio de recursos, formação de quadrilha), apesar de tudo ter começado com as doações ilegais de campanha. 

Maia e líderes discutem mudanças no pacote anticorrupção sem a presença do relator