Novo Coronavírus

Brasil Toffoli nega pedido para suspender afastamento de Witzel

Toffoli nega pedido para suspender afastamento de Witzel

Governador do Rio de Janeiro está afastado do cargo por 180 duas por determinação do Superior Tribunal de Justiça

  • Brasil | Do R7

Witzel é acusado por esquema no setor da saúde

Witzel é acusado por esquema no setor da saúde

Wilton Junior/Estadão Conteúdo

O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Dias Toffoli, negou nesta quarta-feira (9) o pedido que solicitava a suspensão do afastamento do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel.

Witzel foi afastado do cargo por 180 dias por determinação do STJ (Superior Tribunal de Justiça). Ele é um dos alvos da operação que investigava irregularidade na saúde durante a pandemia de coronavírus no Estado do Rio de Janeiro.

No pedido pelo fim do afastamento, os advogados de Witzel criticavam a decisão individual do ministro Benedito Gonçalves, sem que o governador pudesse apresentar suas alegações e ser ouvido pelas autoridades. A Corte Especial do STJ confirmou a decisão de Gonçalves por 14 votos a 1.

"A análise do julgado em questão, no âmbito desta suspensão, carimbaria nos autos a pecha de sucedâneo, o que não se admite juridicamente", escreveu Toffoli. 

Últimas